O Helicobacter pylori (H. pylori) é um reconhecido fator carcinogênico para o câncer gástrico, tornado seu rastreamento e a erradicação muito importantes. Os principais métodos de diagnóstico não invasivos são a sorologia de IgG, o teste respiratório com 13C-ureia e o teste de antígeno fecal. Com relação aos métodos invasivos, os mais utilizados são a endoscopia, histologia, cultura e teste rápido de urease.

Com respeito à sorologia, além de avaliar o resultado negativo ou positivo, também é importante considerar o título de anticorpos contra H. pylori, pois existe uma correlação entre o título de anticorpos e o risco de câncer gástrico. Estudos anteriores mostraram que pacientes com titulações negativas, porém próximas do limite positivo (titulação negativa alta), apresentaram um risco maior de câncer gastrointestinal. No entanto, as características clinico-patológicas desses pacientes, incluindo a prevalência de infecção por H. pylori, não foram estudadas extensivamente. Nesse sentido, pesquisadores investigaram as características clínico-patológicas desses pacientes.

No estudo, que foi publicado no periódico científico World Journal of Gastroenterology, os investigadores mediram os títulos de anticorpos utilizando antígenos derivados de indivíduos japoneses. Os indivíduos positivos para teste respiratório com 13C-ureia foram definidos como tendo infecção por H. pylori. Os autores do estudo investigaram as características demográficas, dados laboratoriais, achados endoscópicos, incluindo a classificação endoscópica de Kyoto para gastrite, e a histologia dos pacientes com titulação negativa alta e que não estavam em terapia de erradicação do H. pylori. A classificação de Kyoto consistiu em escores de atrofia gástrica, metaplasia intestinal, dobras aumentadas, nodularidade e vermelhidão.

Dos 136 indivíduos inscritos, 23 (17%) apresentavam infecção por H. pylori. A classificação de Kyoto teve um excelente valor preditivo para a infecção por H. pylori, independentemente dos dados demográficos. Além disso, na análise histológica, a densidade de H. pylori e a atividade de neutrófilos também tiveram uma alta precisão de predição da infecção.
Em conclusão, os autores do estudo constataram que 17% dos pacientes com titulação sérica negativa alta contra anticorpos de H. Pylori, e sem histórico de terapia de erradicação, apresentaram infecção por H. pylori. Também verificaram que a classificação endoscópica de Kyoto para a gastrite, com pontuação igual ou superior a 2, pode predizer a infecção por H. pylori nesses pacientes. Finalmente, sugerem que para os pacientes que alcancem uma pontuação de classificação de Kyoto de 2 ou mais deve ser considerada a realização de exames diagnósticos adicionais, como o teste respiratório com 13C-ureia.

 
Acesso em 19 Jul 2019. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5889822/

17% dos pacientes com titulação sérica negativa alta contra anticorpos de H. Pylori, e sem histórico de terapia de erradicação, apresentaram infecção por H. pylori.

REFERÊNCIAS

  1. Toyoshima O, Nishizawa T, Arita M, Kataoka Y, Sakitani K, Yoshida S, et al.

    Helicobacter pylori infection in subjects negative for high titer serum antibody.

    World J Gastroenterol. 2018 Apr 7;24(13):1419-1428.