Os ácidos graxos ômega-3, particularmente o ácido docosahexaenóico (DHA), são amplamente reconhecidos como causadores de impactos no neurodesenvolvimento fetal e infantil. Esse impacto no desenvolvimento cerebral, assim como a síntese ineficiente a partir do ácido alfa-linolênico essencial (ALA), levou à recomendação da ingestão de 250 a 375 mg de ácido eicosapentaenoico (EPA) + DHA/dia para as mulheres grávidas e lactantes. Apesar dessas recomendações da Dietary Guidelines for Americans (DGA), a ingestão de ômega-3 em mulheres em idade fértil permanece muito baixa. Esta ingestão materna insuficiente de DHA antes da gravidez poderia prejudicar o desenvolvimento neurológico fetal.

Com base nessas evidências, pesquisadores realizaram uma revisão analisando os níveis de ômega-3 maternos em condições de diabetes mellitus gestacional (DMG) e pré-eclâmpsia, assim como o impacto subsequente na transferência placentária de ômega-3 para o feto e os consequentes efeitos no neurodesenvolvimento.

Os resultados da revisão, que foram publicados no periódico científico Nutrients, revelaram que tanto o DMG quanto a pré-eclâmpsia estão associados à alteração nos níveis maternos de ômega-3, alteração do metabolismo de ômega-3 na placenta, redução dos níveis de ômega-3 no sangue do cordão umbilical e levando a resultados negativos no neurodesenvolvimento do feto e saúde cerebral.
Frente a esses resultados, os autores da revisão concluíram que os bebês de mães com DMG e pré-eclâmpsia podem receber uma menor exposição ao DHA durante seu desenvolvimento, devido a uma diminuição da transferência placentária. Desta forma, os pesquisadores recomendam a busca por abordagens que facilitem o aumento do fornecimento de DHA durante a gravidez para favorecer o desenvolvimento do cérebro dos bebês nascidos de mães com essas doenças.


Acesso em 03 Jul 2019. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6567027/

Os bebês de mães com DMG e pré-eclâmpsia podem receber uma menor exposição ao DHA durante seu desenvolvimento, devido a uma diminuição da transferência placentária.

REFERÊNCIAS

  1. Devarshi PP, Grant RW, Ikonte CJ, Hazels Mitmesser S.

    Maternal Omega-3 Nutrition, Placental Transfer and Fetal Brain Development in Gestational Diabetes and Preeclampsia.

    Nutrients. 2019 May 18;11(5).