O hipotireoidismo subclínico (HSC) é definido como um nível elevado de hormônio estimulante da tireoide (TSH) com um nível normal de tiroxina (T4), sem a presença de sinais ou sintomas de hipotireoidismo. Embora seja bem aceito que o hipotireoidismo manifesto tenha um impacto deletério sobre a gravidez, estudos recentes indicam que o hipotireoidismo subclínico pode afetar a saúde materna e fetal. Estudos sugerem uma associação entre aborto e parto prematuro em mulheres eutireoidianas positivas para anticorpos anti-peroxidase (anti-TPO) e/ou anticorpos anti-tireoglobulina (anti-TG).

Nesse sentido, pesquisadores buscaram determinar o ponto de corte do TSH ideal para avaliar o HSC no primeiro trimestre de gestação e determinar o valor diagnóstico deste teste de triagem para a detecção de anti-TPO.

Para o estudo, que foi publicado no periódico científico BMC Pregnancy and Childbirth, os autores estabeleceram os pontos de corte dos níveis normais de TSH, calculando os percentis 2,5, 10, 50, 90 e 97,5. A prevalência de HSC foi calculada utilizando os ponto de corte de 2,5 mUI/L, 4 mUI/L e o percentil de 97,5 de TSH. A capacidade de detectar a presença positíva de anti-TG e anti-TPO Ab em participantes com níveis de TSH superiores ao do percentil 97,5 foi determinada por curvas ROC.

Em média, a variação e desvio padrão do TSH foi de 2,15 mUI/L. O T4 livre (T4L) médio foi de 1,18. O anti-TG foi, em média, de 89,87 e o anti-TPO foi de 21,61. A análise da curva ROC sobre a capacidade do nível de TSH em prever a presença de anti-TPO Ab positiva encontrou uma AUC de 0,563.

Com base nesses resultados, os autores do estudo concluíram que nessa população o valor de corte da SEGO (Sociedade Espanhola de Ginecologia e Obstetrícia) ótimo de TSH para triagem do HSC gestacional é de 4,72 mUI/L. Utilizando o ponto de corte de 2,5 mUI/L de TSH a prevalência do HSC foi de 37%. Aplicando o ponto de corte recomendado pela ATA ( associação americana de tireoide) de 2017 4 mUI/L, a prevalência do HSC foi de 9,6%. Finalmente, quando o ponto de corte utilizado foi de 4,72 mUI/L (percentil 97,5), a prevalência do HSC foi de 5%. Na opinião dos pesquisadores, os níveis de TSH no primeiro trimestre da gravidez não são úteis para detectar o anti-TPO.



Acesso em 14 Ago 2019.
Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5741893/pdf/12884_2017_Article_1624.pdf

REFERÊNCIAS

  1. Castillo Lara M, Vilar Sánchez Á, Cañavate Solano C, Soto Pazos E, Iglesias Álvarez M, González Macías C, et al.

    "Hypothyroidism screening during first trimester of pregnancy".

    BMC Pregnancy Childbirth. 2017 Dec 22;17(1):438.