Algumas mulheres que utilizam a contracepção hormonal cíclica (CHC) sofrem de sintomas pré-menstruais. No entanto, ainda não está claro se estes sintomas diferem de mulheres que não utilizam a CHC.

Frente a esses fatores, pesquisadores compararam o grau e o momento de alterações nos sintomas do ciclo menstrual em mulheres usuárias e não usuárias de CHC.

Para o estudo, que foi publicado no periódico científico Journal of Women's Health, os investigadores analisaram 490 mulheres (Coorte de Triagem, com 103 usuárias de CHC e 387 não usuárias de CHC) e 1.002 ciclos menstruais (212 CHC e 790 não-CHC). A análise randomizada incluiu 252 mulheres (Coorte Randomizada, 41 CHC e 211 não-CHC) e 537 ciclos menstruais (88 CHC e 449 não-CHC). Os autores utilizaram a Daily Rating of Severity of Problems (DRSP), que compreende 21 itens que refletem 11 sintomas, para catalogar os sintomas diários durante os ciclos. Para avaliar a magnitude das flutuações dos sintomas ao longo do ciclo menstrual, foram criados escores para descrever a diferença entre o intervalo pós-menstrual tipicamente assintomático e um intervalo perimenstrual sintomático. Com base em trabalhos anteriores, foram selecionados os dias 7-12 após a menstruação para o intervalo assintomático e quatro janelas perimenstruais sintomáticas de 6 dias, parcialmente sobrepostas, definidas em relação ao primeiro dia da menstruação: (−6, −1), (−5, 1), (−4, 2) e (−3, 3). Três das quatro janelas perimenstruais incluíram os primeiros dias da menstruação, devido a que a expressão máxima dos sintomas não se limita apenas aos dias antes do início da menstruação, mas também inclui seus primeiros dias. Foram utilizados modelos lineares de efeitos mistos para avaliar as diferenças de mudanças nos escores nas janelas perimenstruais por grupo e por sintoma.

Ambas as coortes mostraram uma interação bidirecional significativa entre o uso de CHC e os escores de mudanças de sintomas, e um efeito principal significativo da janela perimenstrual. A mudança global dos sintomas no ciclo menstrual foi maior para o grupo de contracepção não hormonal, em comparação com o grupo de contracepção hormonal. No Coorte de Triagem, os escores de mudança foram maiores no grupo não-hormonal, especificamente para depressão, raiva ou irritabilidade, e sintomas físicos (dor de cabeça, muscular ou nos seios). Os escores médios de mudanças aumentaram à medida que a janela se deslocou em direção à menstruação em ambas as coortes, com o maior tamanho de efeito e a maior diferença de grupo para o intervalo (-4,2).
Os pesquisadores concluíram que a CHC atenua ligeiramente as alterações nos sintomas do ciclo menstrual, sendo que o intervalo perimenstrual (-4, 2) mostrou a maior alteração quando comparado com o período pós-menstruação.

Acesso em 14 Ago 2019. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5397197/pdf/jwh.2016.5941.pdf

A CHC atenua ligeiramente as alterações nos sintomas do ciclo menstrual, sendo que o intervalo perimenstrual (-4, 2) mostrou a maior alteração quando comparado com o período pós-menstruação.

REFERÊNCIAS

  1. Yonkers KA, Cameron B, Gueorguieva R, Altemus M, Kornstein SG.

    The Influence of Cyclic Hormonal Contraception on Expression of Premenstrual Syndrome.

    J Womens Health (Larchmt). 2017 Apr;26(4):321-328.