A infecção pelo Helicobacter pylori (Hp) é a principal entidade carcinogênica do estômago, e sua erradicação reduz a incidência de câncer gástrico. Os exames mais utilizados na prática clínica para diagnosticar a infecção por Hp são o teste respiratório com 13C-ureia (TRU), anticorpos IgG anti-Hp no soro, teste de antígeno nas fezes, esofagogastroduodenoscopia (EGD), teste rápido da urease, culturas e exames patológicos. O TRU apresenta a maior precisão diagnóstica para a infecção por Hp. No entanto, a realização deste exame exige que os pacientes suspendam o uso de inibidores da bomba de prótons e antibióticos.

A medição do título de anticorpos no soro também é útil por ser um teste fácil, barato e pouco afetado por alterações no estômago. O título de anticorpos séricos serve para avaliar tanto o a infecção de início recente como a erradicação bem-sucedida. Este exame também está relacionado com o risco de câncer gástrico, sendo que as titulações altas se correlacionam com de câncer gástrico de tipo difuso, e as titulações baixo-positivas e alto-negativas estão associadas ao câncer do tipo intestinal.

A EGD é outra ferramenta diagnóstica que pode, além de identificar com precisão as malignidades gástricas, estratificar o risco de câncer gástrico ao avaliar a gastrite.

No entanto, poucos estudos descreveram a relação entre o título de anticorpos anti-Hp no soro e os achados endoscópicos.

Desta forma, pesquisadores realizaram um estudo transversal para investigar a associação entre as características basais dos pacientes, os achados endoscópicos e o título de anticorpos séricos.

Para o estudo, que foi publicado no periódico científico World Journal of Gastroenterology, os pesquisadores avaliaram 874 pacientes consecutivos que foram submetidos a esofagogastroduodenoscopia e tiveram sua primeira avaliação para infecção por Hp por meio de um teste de anticorpos séricos. Os pacientes com histórico de terapia de erradicação para o Hp foram excluídos do estudo. Os participantes foram divididos em quatro grupos de acordo com o título de anticorpos séricos. Os pacientes com títulos séricos de anticorpos <3 U/mL foram incluídos para o grupo A, com 3 a 9,9 U/mL para o grupo B, com 10 a 49,9 U/mL para o grupo C e com ≥50 U/mL para o grupo D.

Do total de participantes analisados , 70%, 16%, 8,7% e 5,1% foram incluídos nos grupos A, B, C e D, respectivamente. Os resultados apresentados revelaram que os pacientes do grupo C eram mais velhos do que os pacientes dos grupos A e B. A atrofia gástrica, metaplasia intestinal, pregas aumentadas, vermelhidão difusa e úlcera duodenal foram associadas a títulos elevados de anticorpos. Padrões regulares de vênulas coletoras, pólipos de glândulas fúndicas, gastrite superficial e doença do refluxo gastroesofágico foram relacionados com titulações baixas de anticorpos. A análise multivariada revelou que a nodularidade, atrofia e ter idade entre 40-59 anos foram correlacionadas com um alto título de anticorpos séricos em pacientes infectados por Hp. A metaplasia intestinal e atrofia foram relacionadas com idades ≥60 anos nos grupos C e D.
Os autores do estudo concluíram que, em pacientes infectados com Hp, altos títulos de anticorpos séricos foram associados com a nodularidade e atrofia gástrica, e que a titulação tendeu a diminuir em pacientes com 60 anos de idade. Também concluíram que o título de anticorpos séricos reflete a inflamação da mucosa gástrica e, portanto, os pacientes com alta titulação podem estar em risco de câncer gástrico difuso e devem ser cuidadosamente examinados na prática clínica.
 
Acesso em 14 ago 2019.
Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6148426/pdf/WJG-24-4061.pdf

Em pacientes infectados com Hp, altos títulos de anticorpos séricos foram associados com a nodularidade e atrofia gástrica, e que a titulação tendeu a diminuir em pacientes com 60 anos de idade.

REFERÊNCIAS

  1. Toyoshima O, Nishizawa T, Sakitani K, Yamakawa T, Takahashi Y, Yamamichi N, et al.

    Serum anti-Helicobacter pylori antibody titer and its association with gastric nodularity, atrophy, and age: A cross-sectional study.

    World J Gastroenterol. 2018 Sep 21;24(35):4061-4068.