Pesquisadores buscaram identificar os principais alérgenos que podem causar dermatite de contato do couro cabeludo analisando os resultados de testes cutâneos de contato.

As dermatites de contato do couro cabeludo geralmente apresentam coceira aguda ou crônica e perda de cabelo. Ela pode ser causada por muitos produtos químicos que compõem produtos cosmético. Para seu diagnóstico, é importante obter uma história cuidadosa e testes cutâneos de contato para identificar o alérgeno responsável e evitar recidivas.

Nesse sentido, pesquisadores buscaram identificar os principais alérgenos que podem causar dermatite de contato do couro cabeludo analisando os resultados de testes cutâneos de contato. Para o estudo, que foi publicado no periódico científico Skin Appendage Disorders, os investigadores revisaram os registros de 1.015 pacientes que realizaram o teste cutâneo de contato no Departamento de Dermatologia da Universidade de Miami. Entre registros analisados foram identificados 226 pacientes, sendo 205 do sexo feminino e 21 do sexo masculino, com suspeita de dermatite de contato no couro cabeludo.

Os alérgenos mais comuns na população de estudo foram níquel (23,8%), cobalto (21,0%), bálsamo do Peru (18,2%), fragrâncias (14,4%), carba mix – presente em compostos de borracha - (11,6%) e propilenoglicol (8,8%). A maioria dos pacientes era do sexo feminino, com idades entre 40 e 59 anos, e apresentavam como sintomas mais comum o prurido ou queimação no couro cabeludo.

As fontes mais frequentes de alérgenos relacionados a metais incluem grampos de cabelo, alfinetes e escovas, enquanto as fontes mais frequentes de alérgenos relacionados a produtos químicos incluem conservantes, fragrâncias e bálsamo do Peru presentes em xampus, condicionadores e géis para cabelos.

Os autores do estudo concluíram que as fontes mais frequentes de alérgenos relacionados a metais incluem grampos de cabelo, alfinetes e escovas, enquanto as fontes mais frequentes de alérgenos relacionados a produtos químicos incluem conservantes, fragrâncias e bálsamo do Peru presentes em xampus, condicionadores e géis para cabelos. As fontes mais frequentes de alérgenos em relação ao propilenoglicol incluem os medicamentos tópicos.

Acesso em 30 Set 2019. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5465660/pdf/sad-0003-0007.pdf

REFERÊNCIAS

  1. Aleid NM, Fertig R, Maddy A, Tosti A.

    Common Allergens Identified Based on Patch Test Results in Patients with Suspected Contact Dermatitis of the Scalp.

    Skin Appendage Disord. 2017 Mar;3(1):7-14.