Estudos mostram que a prevalência global de pessoas com sobrepeso e obesidade excede a daquelas com baixo peso. Essa prevalência de obesidade geralmente é maior nas mulheres (15%) em comparação com os homens (11%). O ganho de peso se acumula progressivamente, e estudos demonstram um maior risco nas mulheres mais jovens, com idade entre 18 e 40 anos, que ganham mais peso anualmente (649g/ano) do que as mulheres mais velhas (494 g/ano).

O aumento do peso em mulheres em idade reprodutiva é multifatorial, no entanto, em parte, está associado a uma redução nos comportamentos que previnem a obesidade, como a manutenção de níveis adequados de atividade física, diminuição dos comportamentos sedentários, e consumo de uma dieta balanceada.

A qualidade da dieta é um importante fator de risco modificável para a prevenção da obesidade e está inversamente associada ao ganho de peso, circunferência da cintura, índice de massa corporal (IMC) e redução do risco de doenças crônicas, incluindo diabetes e doenças cardiovasculares (DCV). O Dietary Guideline Index (DGI) é um instrumento que fornece uma visão geral da dieta em sua totalidade, incluindo a avaliação dos padrões alimentares, ingestão de nutrientes e conformidade com as diretrizes. Um maior escore de DGI infere no aumento do consumo de uma variedade maior de alimentos saudáveis, incluindo grãos integrais, frutas, vegetais, laticínios e carnes magras, e com um menor consumo de alimentos pobres em nutrientes.

Apesar de associação demonstrada entre a qualidade da dieta e o ganho de peso, existe um número limitado de estudos que examinaram as mudanças na qualidade da dieta como estratégia de prevenção da obesidade em mulheres em idade reprodutiva. Portanto, pesquisadores avaliaram as mudanças na qualidade da dieta, preditores de mudança e sua associação com as alterações de peso em mulheres.

No estudo, que foi publicado no periódico científico Nutrients, 41 cidades rurais da Austrália foram randomizadas para uma intervenção de estilo de vida saudável (n = 21) ou controle (n = 20). Os investigadores recrutaram mulheres com idade entre 18 e 50 anos, com qualquer IMC e sem condições conhecidas que afetassem o peso. A qualidade da dieta foi avaliada pelo DGI e a ingestão de energia, macronutrientes e micronutrientes, bem como os dados antropométricos, foram medidos no início do estudo e após 12 meses.

Das 409 mulheres avaliadas no início do estudo e no seguimento, 220 mulheres foram incluídas para análise final. Após os 12 meses, a qualidade da dieta melhorou em 6,2% no grupo de intervenção, em comparação com nenhuma alteração observada no grupo controle. Foi encontrada uma associação significativa entre alterações de peso e mudanças no escore de qualidade da dieta ao longo do tempo, com uma redução média de 870g no peso das mulheres do grupo de intervenção, em comparação ao grupo controle. A porcentagem de energia da dieta proveniente de proteína e o índice glicêmico também foram melhorados após a intervenção, em comparação com o grupo controle.
Os autores do estudo concluíram que, o ensaio para prevenção de ganho de peso destinado a mulheres em idade reprodutiva melhorou a qualidade geral da dieta e esteve significativamente associado à prevenção do ganho de peso aos 12 meses. Estes resultados, na opinião dos pesquisadores, podem contribuir para o desenvolvimento de programas direcionados e mensagens de saúde para melhorar a qualidade da dieta em mulheres para prevenir o ganho de peso e reduzir o risco à saúde e doenças crônicas.

 
Acesso em 20 Ago 2019. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6357112/pdf/nutrients-11-00049.pdf

O ensaio para prevenção de ganho de peso destinado a mulheres em idade reprodutiva melhorou a qualidade geral da dieta e esteve significativamente associado à prevenção do ganho de peso aos 12 meses.

REFERÊNCIAS

  1. Martin JC, Moran LJ, Teede HJ, Ranasinha S, Lombard CB, Harrison CL.

    Diet Quality in a Weight Gain Prevention Trial of Reproductive Aged Women: A Secondary Analysis of a Cluster Randomized Controlled Trial.

    Nutrients. 2018 Dec 27;11(1).