A dismenorreia primária, sem a presença de patologias pélvicas, é uma das queixas mais comuns das mulheres e pode afetar sua qualidade de vida. Mais de 50% das mulheres que apresentam sangramento menstrual também apresentam dismenorreia, e destas, 10% apresentam sintomas tão graves que interrompem, em média, de 1 a 3 dias de vida destas mulheres a cada mês. A dor geralmente é mais grave no primeiro dia de sangramento e diminui gradualmente sua intensidade. A dismenorreia primária ocorre quando o útero sofre uma espasticidade devido à redução do suprimento sanguíneo, sendo que alguns estudos encontraram relações com os níveis de progesterona, estrogênio e vasopressina. Estudos anteriores mostraram que a atividade esportiva, especialmente os exercícios aeróbicos, melhoraram alguns dos sintomas menstruais de estudantes não atletas. No entanto, outros estudos não confirmaram essa associação.

Frente a esses resultados contraditórios, pesquisadores investigaram o efeito de 8 semanas de exercícios aeróbicos regulares sobre a gravidade da dismenorreia primária.

O estudo clínico, que foi publicado no periódico científico Journal of Education and Health Promotion, foi realizado em 70 estudantes com dismenorreia primária. As participantes foram aleatoriamente designadas para um grupo de intervenção ou de controle. A avaliação dos resultados foi realizada com por meio de um questionário, com uma escala visual de dor, que foi preenchido pelos dois grupos nos primeiros 3 dias do ciclo menstrual. A gravidade da dor foi classificada em: intensa, quando demandava limitação de atividade, descanso e uso de medicamentos; moderada quando demandava apenas o uso de medicação; leve quando não era necessário o uso de medicação ou descanso. O protocolo de exercícios incluiu a prática de exercícios aeróbicos, realizados durante 8 semanas, três vezes por semana, por 30 minutos.

O grupo controle e de intervenção foram homogêneos em termos de características demográficas. Os resultados mostraram que a gravidade da dismenorreia primária no início do estudo não foi significativamente correlacionada com nenhum dos dois grupos. No final das 4 semanas após a intervenção, o grupo que praticou exercícios aeróbicos não apresentou alterações significativas em relação ao grupo controle, mas ao final de 8 semanas o grupo de intervenção mostrou mudanças significativas em comparação com o controle grupo. No início do estudo, entre as participantes do grupo de intervenção, 80% apresentavam dor leve, 14,2% dor moderada e 5,8% dor intensa. Ao final do estudo, no grupo de intervenção nenhuma mulher apresentava dor intensa, 2,9% apresentavam dor moderada e 97,1% apresentavam dor leve.
Os autores do estudo concluíram que a prática de exercícios aeróbicos regulares com intensidade moderada pode reduzir ou prevenir a ocorrência de determinados distúrbios menstruais. Portanto, o exercício aeróbico pode ser usado como uma abordagem preventiva e/ou terapêutica para controlar a dismenorreia e outros distúrbios menstruais. Os investigadores relataram que a prática de exercícios aeróbicos regulares, leva ao relaxamento mental e físico, melhora o fluxo sanguíneo, que podem melhorar os sintomas menstruais.

Os resultados deste estudo mostraram que a realização de exercícios aeróbicos pode melhorar a dismenorreia primária. Portanto, o exercício aeróbico pode ser usado para tratar dismenorreia primária.


 
Acesso em 28 Ago 2019. Disponível em: http://www.jehp.net/temp/JEduHealthPromot713-29526_081205.pdf

A prática de exercícios aeróbicos regulares com intensidade moderada pode reduzir ou prevenir a ocorrência de determinados distúrbios menstruais.

REFERÊNCIAS

  1. Dehnavi ZM, Jafarnejad F, Kamali Z.

    The Effect of aerobic exercise on primary dysmenorrhea: A clinical trial study.

    J Educ Health Promot. 2018 Jan 10;7:3.