Um estudo, publicado no periódico científico World Journal of Pediatrics, sugeriu que a administração de probióticos em crianças com infecções recorrentes do trato respiratório (IRTR) podem reduzir a frequência dessas infecções.

A IRTR ocorre com frequência em crianças pré-escolares, sendo uma das principais causas de consultas médicas e hospitalizações. As evidências atualmente disponíveis sugerem que diferentes disfunções imunes são as principais causas de IRTR.

A flora intestinal possui um poderoso efeito regulador no sistema imunológico humano. Estudos anteriores já demonstraram que o uso a longo prazo de probióticos pode reduzir significativamente o risco de infecções respiratórias e, beneficiando os pacientes em relação a sintomas, como febre e tosse, assim como a duração da administração de agentes antibacterianos em crianças.

Com base nesse fatores, pesquisadores investigaram os efeitos clínicos da administrção de Bifidobacterium tetravaccine frente à prevenção e o tratamento das IRTR.

Um total de 120 crianças com IRTR foram divididas aleatoriamente em quatro grupos: ativo, remissão, intervenção e controle. Outras 30 crianças saudáveis foram selecionadas como grupo saudável. As crianças do grupo de intervenção receberam comprimidos orais de Bifidobacterium tetravaccine durante 2 meses, enquanto o grupo controle recebeu o tratamento de rotina. A ocorrência de infecção do trato respiratório (ITR) foi comparada entre os diferentes grupos durante um ano de acompanhamento. Os pesquisadores também coletaram amostras de fezes para analisar as cepas bacterianas existentes na flora bacteriana das crianças.

Os investigadores constataram que, em comparação com o grupo saudável, o número de Bifidobacteria e Lactobacilli intestinais nos grupos ativo, remissão, intervenção e controle estiveram significativamente diminuídas. O número de Bifidobacteria e Lactobacilli no grupo de intervenção foi significativamente maior em comparação com outros grupos de crianças com IRTR. Durante o período de acompanhamento, o grupo de intervenção apresentou uma redução na frequência média anual de diferentes ITRs agudas e no uso de antibióticos em comparação com o grupo controle. A duração média da tosse, febre e uso de antibióticos em cada episódio também foi significativamente reduzida no grupo de intervenção.
Segundo os pesquisadores, as crianças com IRTR são suscetíveis ao desequilíbrio da flora intestinal. A administração de Bifidobacterium tetravaccine nessas crianças restaurou a flora bacteriana ao mesmo nível dos controles saudáveis, sugerindo que o uso do probiótico pode efetivamente aumentar o número de Bifidobacteria e Lactobacilli e, assim, manter o equilíbrio da flora intestinal.

 
Acesso em 24 Jun 2019. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs12519-019-00248-0

As crianças com IRTR são suscetíveis ao desequilíbrio da flora intestinal. A administração de Bifidobacterium tetravaccine nessas crianças restaurou a flora bacteriana ao mesmo nível dos controles saudáveis, sugerindo que o uso do probiótico pode efetivamente aumentar o número de Bifidobacteria e Lactobacilli e, assim, manter o equilíbrio da flora intestinal.

REFERÊNCIAS

  1. Li KL, Wang BZ, Li ZP, Li YL, Liang JJ.

    Alterations of intestinal flora and the effects of probiotics in children with recurrent respiratory tract infection.

    World J Pediatr. 2019 Apr 24.