Os comportamentos de risco à saúde, como condutas sexuais de risco e uso de substâncias, são uma das principais causas de morbidade durante a adolescência. Frente a esses fatos, especialistas recomendam a triagem e aconselhamento sobre esses comportamentos de risco, no entanto, raramente são realizados.

Desta forma, pesquisadores realizaram um estudo para examinar a eficácia de uma ferramenta de triagem eletrônica e feedback sobre aconselhamento clínico e comportamentos de risco à saúde, voltada para os adolescentes. A ferramenta foi projetada para ser administrada antes de uma consulta e preparar os jovens para conversar com seus médicos. A ferramenta também incluiu um suporte às decisões clínicas para o médico, incluindo um relatório do resumo clínico do paciente para incentivar o aconselhamento sobre comportamentos de moderado e alto risco.

A ferramenta utilizada identificou os jovens para fatores de proteção e comportamentos de risco seguindo uma estrutura que compreendeu informações sobre casa, educação, atividades, depressão, atividade sexual, segurança e uso de substâncias. Além disso, a ferramenta selecionou comportamentos nutricionais específicos, atividade física e sono. O feedback personalizado foi projetado para motivar comportamentos mais saudáveis e encorajar as conversas com o médico durante a consulta. O relatório sobre o paciente que o médico recebia antes da consulta consistia em um painel que sinalizava os comportamentos de baixo risco, risco moderado ou alto risco dentro de seis categorias: nutrição, atividade, uso de substâncias, emoções, atividade sexual e segurança.

Para a análise, que foi publicada no periódico científico JAMA Network Open, foi realizado um ensaio clínico, randomizado, que comparou a ferramenta de triagem eletrônica e feedback com o tratamento usual em 300 jovens de 13 a 18 anos de idade em 5 clínicas pediátricas. Os resultados foram avaliados através de uma pesquisa eletrônica realizada no dia seguinte à consulta inicial e 3 meses depois.

Os participantes foram divididos em um grupo de intervenção (n = 147) e um grupo controle (n = 153). O grupo de intervenção recebeu a triagem eletrônica e feedback personalizado e os controles receberam a atenção usual. Os jovens do grupo de controle completaram a triagem eletrônica inicial, mas os médicos não receberam resultados de triagem eletrônica.

Os resultados mostraram que, após o ajuste para idade, sexo e efeitos aleatórios entre as clínicas, os jovens do grupo de intervenção apresentaram uma maior probabilidade de receber aconselhamentos para cada um dos comportamentos de risco relatados do que os jovens do grupo controle. Os jovens do grupo de intervenção também apresentaram uma redução significativamente maior em seus índices de comportamento de risco após 3 meses, quando comparados com os jovens do grupo controle.

A triagem eletrônica de comportamentos de risco à saúde com apoio à decisão clínica e feedback motivacional para adolescentes pode melhorar a prestação de cuidados e os resultados.
Os autores do estudo concluíram que, a ferramenta de triagem eletrônica com feedback personalizado tem potencial para melhorar significativamente os resultados sobre comportamentos de risco em jovens, e pode ser uma estratégia eficaz para fornecer aconselhamento preventivo.

 
Acesso em 28 Ago 2019
. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6512281/

A ferramenta de triagem eletrônica com feedback personalizado tem potencial para melhorar significativamente os resultados sobre comportamentos de risco em jovens, e pode ser uma estratégia eficaz para fornecer aconselhamento preventivo.

REFERÊNCIAS

  1. Richardson LP, Zhou C, Gersh E, Spielvogle H, Taylor JA, McCarty CA.

    Effect of Electronic Screening With Personalized Feedback on Adolescent Health Risk Behaviors in a Primary Care Setting: A Randomized Clinical Trial.

    JAMA Netw Open. 2019 May 3;2(5):e193581.