Os ftalatos são um grupo de químicos industriais sintéticos, que tem despertado preocupações devido ao seu potencial efeito desregulador endócrino. Estudos em animais revelaram que esse efeito pode acelerar a perda do pool de folículos ovarianos, por interromper a foliculogênese, e levar à diminuição da reserva ovariana. No entanto, dados humanos ainda são limitados.

Nesse sentido, pesquisadores realizaram um estudo retrospectivo para examinar se os metabólitos dos ftalatos urinários estão correlacionados com marcadores de reserva ovariana entre mulheres que frequentaram uma clínica de fertilidade.

Para o estudo, que foi publicado no periódico científico Reproductive Health, foram medidos oito metabólitos de ftalatos em amostras de urina coletadas de 415 mulheres que buscaram tratamento para infertilidade. Os dados sobre as medidas de reserva ovariana, indicados pelos níveis séricos de hormônio anti-Mülleriano (AMH) e de inibina B (INHB), foram recuperados retrospectivamente através de prontuários eletrônicos. Os pesquisadores utilizaram modelos lineares multivariados para estimar as associações entre os metabólitos dos ftalatos urinários e os níveis séricos de AMH e INHB.

No geral, os resultados encontrados mostraram associações basicamente nulas entre os metabólitos dos ftalatos urinários e o AMH sérico. As diferenças ajustadas nos níveis séricos de INHB comparando o quartil mais alto de mono(2-etilhexila) ftalato (MEHF) urinário com o quartil mais baixo foram de -18,29% em média. As mulheres no segundo, terceiro e quarto quartis de mono(2-ethil-5-oxohexil) ftalato (MEOHF) tiveram uma diminuição significativa -23,74%, -19,91% e -20,23%, em média respectivamente, nos níveis INHB em relação ao primeiro quartil. Os resultados também mostraram uma relação não linear entre a exposição ao MEOHF e a INHB sérica.
Segundo os autores do estudo, esses resultados fornecem evidências de uma associação negativa entre as concentrações urinárias de certos metabólitos de ftalatos e os níveis séricos de INHB, sugerindo um efeito adverso da exposição dos ftalatos ao crescimento dos folículos antrais.

Acesso em 14 Ago 2019.
Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5824533/

REFERÊNCIAS

  1. Du YY, Guo N, Wang YX, Hua X, Deng TR, Teng XM, et al.

    Urinary phthalate metabolites in relation to serum anti-Müllerian hormone and inhibin B levels among women from a fertility center: a retrospective analysis.

    Reprod Health. 2018 Feb 23;15(1):33.