As doenças da tireoide e as disfunções sexuais são condições comuns que isoladamente podem ter um efeito prejudicial na qualidade de vida. Estudos recentes documentaram um aumento da prevalência de disfunções sexuais entre pacientes com distúrbios da tireoide. Perante essas evidências, é importante que os médicos estejam preparados para que, na apresentação de pacientes com disfunções sexuais e tireoidianas sobrejacentes, realizem uma abordagem terapêutica adequada.

Nesse sentido, investigadores realizaram uma revisão da literatura disponível que explorou a relação entre as doenças da tireoide e as disfunções sexuais em homens e mulheres.

Para o estudo, que foi publicado no periódico científico Sexual Medicine Reviews, os autores realizaram uma busca na base de dados PubMed sobre estudos clínicos e pré-clínicos existentes, desde 1978 até 2018. Entre os estudos encontrados, os pesquisadores revisaram os dados sobre prevalência, sintomatologia, fisiopatologia, diagnóstico e tratamento de pacientes com disfunções sexuais no cenário de doenças da tireoide.

Os resultados encontrados mostraram que a prevalência de disfunções sexuais em pacientes com hipotireoidismo foi entre 59 e 63% nos homens, e entre 22 e 46% nas mulheres. Em relação ao hipertireoidismo, a prevalência encontrada esteve entre 48 e 77% nos homens e entre 44 e 60% nas mulheres.

Nas mulheres, tanto com hipotireoidismo quanto com hipertireoidismo houveram relatos de prejuízos em relação à libido, demonstrando comprometimento no desejo, excitação, lubrificação, orgasmo, satisfação e relataram a presença de dor durante a relação sexual.

Em relação aos mecanismos de ação, ambas condições mostraram exercer efeitos sobre os níveis de hormônios sexuais circulantes, através de vias periféricas e centrais, podendo indiretamente provocar desregulações psiquiátricas e autonômicas que podem prejudicar a função sexual.

A revisão também revelou que a correção do estado eutireoidiano foi associada à uma resolução dramática das disfunções sexuais, tanto em pacientes masculinos quanto femininos, e tanto em indivíduos com hipotireoidismo quanto com hipertireoidismo.
Na opinião dos autores da revisão, as evidências encontradas nos estudos avaliados sugerem que a desregulação do eixo tireoidiano desempenha um papel importante na disfunção sexual que não deve ser negligenciada. Segundo os pesquisadores, melhorando a conscientização sobre as relações entre as doenças da tireoide e as disfunções sexuais, os médicos podem identificar precocemente os pacientes cujos sintomas sexuais possam ser solucionados tratando os distúrbios da tireoide subjacentes.

 
Acesso em 19 Jul 2019. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2050052118300593?via%3Dihub

REFERÊNCIAS

  1. Gabrielson AT, Sartor RA, Hellstrom WJG.

    The Impact of Thyroid Disease on Sexual Dysfunction in Men and Women.

    Sex Med Rev. 2019 Jan;7(1):57-70.