A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é um distúrbio crônico que apresenta uma prevalência de 23% na América do Sul. A alta prevalência pode ser decorrente de vários fatores, como idade avançada, sexo masculino, raça, ingestão de analgésicos, consumo de certos tipos de alimentos e bebidas, diminuição da prevalência de infecção por Helicobacter pylori, tabagismo, história familiar de DRGE, alto índice de massa corporal (IMC) e atividade física limitada. 

O envelhecimento tem sido consistentemente associado a um risco aumentado de sintomas da DRGE. No entanto, como os fatores de risco afetam cada vez mais a população em geral, foram levantadas preocupações sobre o fato de indivíduos mais jovens estarem desenvolvendo a DRGE, assim como suas possíveis consequências. 

Desta forma, pesquisadores realizaram um estudo com o objetivo de determinar se a DRGE está se tornando mais prevalente em populações mais jovens do que em populações mais velhas, avaliando a proporção de pacientes com DRGE em cada faixa etária por meio de dados baseados na população e comparando os resultados com um grande sistema de saúde. 

Para o estudo, que foi publicado no periódico científico Journal of Neurogastroenterology and Motility, os investigadores avaliaram a incidência de DRGE, bem como diversas variáveis, durante um período de 11 anos. Os pacientes com DRGE foram classificados em 7 faixas etárias (15-19, 20-29, 30-39, 40-49, 50-59, 60-69 e ≥70 anos).
 
Os resultados mostraram que a proporção de pacientes com DRGE aumentou em todas as faixas etárias, exceto naqueles com mais de 70 anos no conjunto de dados universal e naqueles com mais de 60 anos no sistema de saúde. O maior aumento foi observado na faixa etária de 30-39 anos em ambos os conjuntos de dados. Da mesma forma, a proporção de pacientes com DRGE que estavam utilizando inibidores da bomba de prótons aumentou em todas as faixas etárias, exceto naqueles com mais de 70 anos em ambos os conjuntos de dados, sendo o maior aumento no grupo entre 30 e 39 anos.

A doença do refluxo gastroesofágico permanece predominantemente uma doença de indivíduos de meia idade e idosos, com uma proporção maior entre caucasianos e mulheres.

Os autores do estudo concluíram que, a DRGE permanece predominantemente uma doença de indivíduos de meia idade e idosos, com uma proporção maior entre caucasianos e mulheres. No entanto, nos últimos anos houve um aumento significativo na proporção de pacientes com DRGE nas faixas etárias mais jovens, especialmente entre os 30 e 39 anos. O suporte para esses achados vem da proporção de pacientes com DRGE que estavam utilizando IBP. Segundo os autores, os resultados apresentados sugerem que os médicos devem estar mais conscientes de que a proporção de adultos jovens com DRGE tem aumentado continuamente.

Acesso em 01 Nov 2019. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6175565/
 

SABR.SA.20.02.0208b

REFERÊNCIAS

  1. Yamasaki T1, Hemond C2, Eisa M3, Ganocy S4, Fass R1

    The Changing Epidemiology of Gastroesophageal Reflux Disease: Are Patients Getting Younger? 

    J Neurogastroenterol Motil. 2018 Oct 1;24(4):559-569