A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) e a dispepsia funcional (DF) são doenças frequentemente encontradas na prática clínica. Em muitos pacientes há uma associação entre os sinais de DRGE e DF, ou seja, com a presença de sintomas de ambas moléstias. 

 

A DRGE está relacionada ao refluxo de ácido gástrico e os sintomas mais graves são induzidos pela doença do refluxo erosivo (DRE), resultante do longo prazo que o paciente é exposto ao refluxo. Desta forma, foi levantada a hipótese de que, entre os pacientes onde coexistem os sintomas de DRGE e DF, o ácido gástrico pode estar intimamente envolvido no aparecimento de sintomas. Nesses casos, um inibidor da bomba de prótons (IBP) poderia ser eficaz, não apenas para os sintomas da DRGE, mas também nos sintomas de dispepsia induzida por ácido. 

 

Assim, pesquisadores realizaram um estudo para avaliar a influência da gravidade dos sintomas da DRGE nas respostas dos sintomas da DF frente ao tratamento com IBP em pacientes com sintomas coexistentes de DRGE e DF.

 

Para o estudo, que foi publicado no periódico científico Journal of Gastroenterology, foram inscritos pacientes com sintomas de DRGE e DF para receberem um tratamento com IBP por 4 semanas. A gravidade dos sintomas e as respostas ao tratamento foram avaliadas antes do tratamento e após as 4 semanas. Os pacientes foram divididos em três grupos, de acordo com a gravidade dos sintomas da DRGE, avaliados pela pontuação pré-tratamento na subescala de sintomas (SS) da DRGE.

 

Nos indivíduos que apresentam sintomas coexistentes de doença do refluxo gastroesofágico e dispepsia funcional, foi observado um alívio mais acentuado dos sintomas de dispepsia no grupo pacientes com sintomas mais graves de DRGE no início do estudo após 4 semanas de tratamento com um inibidor da bomba de prótons.

No total, foram analisados dados de 233 casos, sendo que 40 pacientes apresentavam sintomas leves, 151 moderados e 42 graves. A análise da gravidade dos sintomas revelou que uma pontuação mais alta na SS-DRGE foi significativamente associada a piores sintomas de DF. O tratamento por quatro semanas com IBP aliviou significativamente e acentuadamente qualquer sintoma de DRGE/DF. Além disso, as alterações na pontuação de cada sintoma após 4 semanas de tratamento foram significativamente maiores nos grupos com pontuação na DRGE-SS mais alta.

 

Os autores do estudo concluíram que, entre os indivíduos que apresentam sintomas coexistentes de DRGE e DF, foi observado um alívio mais acentuado dos sintomas de dispepsia no grupo pacientes com sintomas mais graves de DRGE no início do estudo após 4 semanas de tratamento com IBP. Esse achado sugere uma maior probabilidade desses pacientes sofrerem de dispepsia relacionada ao ácido. Segundo os autores, os resultados encontrados justificam a recomendação da utilização de uma monoterapia com IBP como tratamento de primeira escolha para esses casos.

 

Acesso em 10 Dez 2019. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1007/s00535-019-01546-0 

 

SABR.SA.19.12.2166

 

REFERÊNCIAS

  1. Isshi K, Matsuhashi N, Joh T, Higuchi K, Iwakiri K, Kamiya T, et al.

    Proton pump inhibitor monotherapy is effective to attenuate dyspepsia symptoms associated with gastroesophageal reflux disease: a multicenter prospective observational study.

    J Gastroenterol. 2019 Jun;54(6):492-500.