Durante o congresso americano de pediatria de 2019, American Academy of Pediatrics (AAP) 2019 National Conference, realizado em Denver - Colorado, pesquisadores apresentaram um relatório técnico sobre o tratamento cirúrgico para obesidade grave em crianças.

O trabalho, que também foi publicado no periódico científico Pediatrics, reportou que a obesidade grave afeta a saúde e o bem-estar de milhões de crianças e adolescentes nos Estados Unidos, sendo considerada uma epidemia que representa uma grande crise de saúde pública, sendo que, atualmente, existem poucos tratamentos eficazes para a obesidade grave.

O relatório mostrou que as cirurgias metabólicas e bariátricas são opções de tratamento subutilizadas para pacientes pediátricos com obesidade grave. O Bypass Gástrico em Y de Roux e a gastrectomia vertical em manga (sleeve) são os procedimentos metabólicos e bariátricos mais comumente realizados nos Estados Unidos, e demonstraram resultar em perda de peso sustentada a curto, médio e longo prazo, com uma resolução associada de múltiplas doenças comórbidas relacionadas à obesidade.
Dados recentes do estudo Teen-Longitudinal Assessment of Bariatric Surgery (Teen-LABS) revelaram que pacientes com média de idade de 17 anos submetidos a um procedimento de perda de peso demonstram uma correlação direta entre o aumento do IMC (índice de massa corporal) pré-operatório, e maior probabilidade de apresentar múltiplas condições comórbidas e/ou fatores de risco cardiovasculares associados.

Os autores do estudo indicaram a existência de uma necessidade urgente de melhorar o acesso à cirurgia metabólica e bariátrica de pacientes pediátricos com obesidade grave.

Além disso, as evidências sugerem que indivíduos que apresentam os mais altos níveis de IMC no momento da intervenção cirúrgica (IMC> 50) têm menor probabilidade de alcançar um estado de não-obesidade (IMC <30) após uma cirurgia bem-sucedida. Correspondentemente, os dados também revelaram que o aumento da perda de peso após cirurgia bariátrica, sexo feminino e menor idade no momento da intervenção cirúrgica podem prever independentemente uma probabilidade aumentada de melhora de vários fatores de risco cardiovascular, como pressão arterial elevada, dislipidemia e níveis anormalmente elevados de proteína C-reativa de alta sensibilidade. Além disso, a resolução de doenças comórbidas ocorre antes que um peso normal seja alcançado.

Os autores do estudo finalizaram a conclusão indicando a existência de uma necessidade urgente de melhorar o acesso à cirurgia metabólica e bariátrica de pacientes pediátricos com obesidade grave.

Acesso em 21 Fev 2020. Disponível em: https://pediatrics.aappublications.org/content/pediatrics/early/2019/10/24/peds.2019-3224.full.pdf


SABR.SA.20.02.0236a

REFERÊNCIAS

  1. Bolling CF, Armstrong SC, Reichard KW, Michalsky MP; SECTION ON OBESITY, SECTION ON SURGERY.

    Metabolic and Bariatric Surgery for Pediatric Patients With Severe Obesity.

    Pediatrics. 2019 Dec;144(6).