Mensagem principal

• Mais da metade dos pacientes com doença cardiovascular aterosclerótica (ASCVD) envolvidos neste estudo atenderam à definição de risco muito alto para ASCVD, de acordo com a diretriz da American Heart Association/American College of Cardiology (AHA/ACC) de 2018 para o controle do colesterol.

• As taxas de eventos de ASCVD foram três vezes mais frequentes em pacientes que atenderam à definição de risco muito alto vs aqueles que não atenderam.

• A maioria dos pacientes com risco muito alto para ASCVD não estava recebendo tratamento com uma estatina de alta intensidade, e uma porcentagem muito pequena estava recebendo tratamento com ezetimiba e/ou um inibidor da pró-proteína convertase subtilisina/kexina tipo 9 (PCSK9).

Por que isto importa?
• A diretriz 2018 da AHA/ACC para o colesterol no sangue recomenda:

• estatina de alta intensidade ou na dose máxima tolerada em pacientes que atendem aos critérios para risco muito alto para eventos de ASCVD e em pacientes com histórico de ASCVD sem risco muito alto e com idade ≤75 anos;
• ezetimiba em adição à dose máxima tolerada de estatina em pacientes com risco muito alto para eventos de ASCVD, se o nível de colesterol de lipoproteína de baixa densidade (LDL) for ≥70 mg/dL; e
• adição do inibidor PCSK9 pode ser considerada se os alvos não forem atingidos com a estatina máxima tolerada em combinação com a ezetimiba.
Desenho do estudo

• O estudo avaliou 27.775 adultos dos EUA com um histórico de ASCVD e que tinham seguro de saúde no banco de dados MarketScan.

• Em conformidade com a diretriz da AHA/ACC 2018 para o controle do colesterol no sangue, o risco muito alto para eventos de ASCVD foi definido como um histórico de vários eventos maiores de ASCVD ou um evento e várias condições de alto risco.

• Houve um acompanhamento dos pacientes para monitoramento dos desfechos primários de eventos de ASCVD definidos como o composto de infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral isquêmico ou evento adverso importante dos membros.

• Financiamento: Amgen, Inc.

Resultados principais
• 15.366 (55,3%) pacientes atenderam à definição de risco muito alto para ASCVD.

• A seguir estão as taxas de eventos de ASCVD (por 1000 pessoas-anos):

• pacientes com e sem risco muito alto para ASCVD: 53,1 (IC de 95%, 50,1-56,1) e 17,0 (IC de 95%, 15,2-18,9), respectivamente;
• pacientes com um histórico de vários eventos maiores de ASCVD: 89,8 (IC de 95%, 82,2-98,0); e
• pacientes com um histórico de um evento maior de ASCVD e várias condições de alto risco: 41,3 (IC de 95%, 38,3-44,4).
• Em comparação com os pacientes que não atenderam aos critérios para risco muito alto, o HR ajustado para eventos de ASCVD foi o seguinte:

• 2,98 (IC de 95%, 2,63-3,37) em pacientes com risco muito alto para eventos de ASCVD;
• 4,89 (IC de 95%, 4,22-5,66) em pacientes com um histórico de vários eventos maiores de ASCVD; e
• 2,33 (IC de 95%, 2,04-2,66) em pacientes com um histórico de um evento maior de ASCVD e várias condições de alto risco.
• Entre os pacientes que atenderam aos critérios para risco muito alto para ASCVD, 15,8% estavam sendo tratados com uma estatina de alta intensidade e 1,4% estavam sendo tratados com uma estatina de alta intensidade em combinação com ezetimiba.

Limitações

• Os resultados podem não ser generalizáveis para pacientes sem seguro de saúde.

• Informações étnico-raciais e status socioeconômico não foram adaptados.

• A prevalência de ASCVD de alto risco pode ter sido subestimada.


SABR.SA.20.02.0245

A maioria dos pacientes com risco muito alto para ASCVD não estava recebendo tratamento com uma estatina de alta intensidade, e uma porcentagem muito pequena estava recebendo tratamento com ezetimiba e/ou um inibidor da pró-proteína convertase subtilisina/kexina tipo 9 (PCSK9)

REFERÊNCIAS

  1. Colantonio LD, Shannon ED, Orroth KK, Zaha R, Jackson EA, Rosenson RS, Exter J, Mues KE, Muntner P.

    Ischemic Event Rates in Very-High-Risk Adults.

    J Am Coll Cardiol. 2019;74(20):2496-2507. doi: 10.1016/j.jacc.2019.09.025. PMID: 31727288