Monografia Pharmaton Vitawin Cálcio

APRESENTAÇÃO

- Marca: Pharmaton Vitawin Cálcio
- Nome do produto: Suplemento de Vitamina A e D em Gotas
- Uso Pediátrico. Via oral.

APRESENTAÇÃO:

- Frasco com 150 ml.
- Registro no Ministério da Saúde: dispensado da obrigatoriedade de registro conforme Resolução RDC nº 27/10.

1. Modo de Usar

Produto indicado para crianças.
Ingerir 5 ml por dia (medir conforme seringa dosadora inclusa) durante ou após a refeição, ou conforme a orientação de um médico ou nutricionista. Não pingar diretamente na boca da criança. Não precisa diluir.

2. Advertências

ESTE PRODUTO NÃO É UM MEDICAMENTO.
NÃO EXCEDER A RECOMENDAÇÃO DIÁRIA DE CONSUMO INDICADA NA EMBALAGEM.
MANTENHA FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

3. Composição

Água, carbonato de cálcio, sorbitol, lactato de magnésio, propilenoglicol, ácido ascórbico, colecalciferol, cianocobalamina, fitomenadiona, acidulante ácido clorídrico, espessante goma xantana, aromatizante, conservador para-hidroxibenzoato de metila, edulcorante sucralose e corantes orgânicos sintéticos artificiais eritrosina e vermelho 40.
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/04/monografia-pharmaton-vitawin-calcio/Tabela1.ashx?w=768&hash=FA79701078CB0047E13FEE9DB3518C4E
ALÉRGICOS: CONTÉM DERIVADOS DE AMENDOIM. NÃO CONTÉM GLÚTEN.

4. Conservação

Armazenar em sua embalagem original, em local fresco e seco ao abrigo da luz e umidade. Após aberto, manter em temperatura ambiente.

5. Fabricado por:

Sanofi Medley Farmacêutica Ltda.
Rua Conde Domingos Papaiz, 413 – Suzano – SP
CNPJ: 10 588 595/0010-92
Sessão científica

CARACTERIZAÇÃO DA FAIXA ETÁRIA – 4 A 8 ANOS

Como mencionado anteriormente, aos 4 anos de idade, a criança já pode gostar de fazer novas atividades no seu dia a dia, sendo nessa idade também que ela se mostra mais criativa para brincar de “faz de conta”. Em relação à parte social, a criança de 4 anos começa a demonstrar preferência por brincar com amigos (em vez de brincar sozinha) e aprende a cooperar com outras crianças. Do ponto de vista cognitivo, nessa idade é possível observar que a criança já consegue dizer nomes de cores e números e compreender os conceitos de contagem e tempo. Os desenhos de pessoas começam a surgir, com duas a quatro partes do corpo, e ela já consegue manipular uma tesoura sozinha (American Academy of Pediatrics, 2008).

Aos 5 anos de idade, a criança já consegue se expressar claramente, podendo contar uma história curta com frases completas. Além disso, a criança dessa idade já quer ser como os amigos e sabe diferenciar os sexos e distinguir o que é realidade do que é “faz de conta”. É mais independente, podendo demandar bastante dos pais e/ou responsáveis, ao mesmo tempo que pode ser bastante colaborativa (American Academy of Pediatrics, 2008).

Na criança de 6 anos de idade, pode-se observar uma evolução na parte motora, tendo essa criança movimentos mais precisos e ágeis. Já apresenta vocabulário mais extenso, geralmente gosta de conversar e pode fazer muitos questionamentos. Gosta de participar das atividades do ambiente em que se encontra e se interesse pela opinião das outras pessoas (Coll et al., 1995).

Já na idade de 7 anos, o pensamento lógico está mais bem formado, tornando- se mais estável, e a criança é capaz de realizar abstrações cada vez mais complexas, sendo menos influenciada pela percepção sensorial. É nessa idade também que a criança é de fato inserida no universo da leitura e da escrita (Coll et al., 1995).

Por fim, após os 8 anos de idade, a criança é mais capaz de identificar seus sentimentos e pensamentos, de pensar sobre a própria posição na sociedade e de sentir empatia com o que os outros sentem. Nessa idade, a criança adquire maior autonomia e entende que precisa respeitar combinados e regras, não por conta de uma autoridade externa, mas porque eles possuem um sentido na organização das relações e dos espaços comuns. As amizades vão ficando mais baseadas em afinidades e compartilhamento de pensamentos e opiniões (Coll et al., 1995).

A infância, assim como a adolescência, é caracterizada pelo crescimento ósseo longitudinal e por mudanças no tamanho e formato do esqueleto. O aumento de massa óssea adequado durante esse período tem sido descrito como fator determinante do risco futuro de fraturas. Assim, por ser um período de importante desenvolvimento ósseo e sendo o cálcio o principal constituinte do osso, o consumo desse nutriente, nas quantidades recomendadas, por crianças ajuda a garantir um crescimento ósseo adequado.


Nutriente em destaque de pharmaton vitawin cálcio:

CÁLCIO

A infância, assim como a adolescência, é caracterizada pelo crescimento ósseo longitudinal e por mudanças no tamanho e formato do esqueleto. O aumento de massa óssea adequado durante esse período tem sido descrito como fator determinante do risco futuro de fraturas (Martini, 2008). Assim, por ser um período de importante desenvolvimento ósseo e sendo o cálcio o principal constituinte do osso, o consumo desse nutriente, nas quantidades recomendadas, por crianças ajuda a garantir um crescimento ósseo adequado (Martini, 2008). Isso ocorre porque o conteúdo de cálcio dos ossos é responsável pelo ajuste entre a formação óssea (transferência do mineral do sangue para o osso) e a reabsorção óssea (transferência do mineral do osso para o sangue). Assim, a redução da reserva esquelética de cálcio é equivalente à redução de massa óssea, enquanto o aumento ou a adequação está relacionado ao ganho de massa do osso (ILSI, 2014). Além de sua função de mineralização dos ossos, é importante lembrar-se de que esse mineral exerce a mesma função nos dentes, sendo estes, juntamente com os ossos, o principal depósito de cálcio no organismo (99%) (ILSI, 2014).
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/04/monografia-pharmaton-vitawin-calcio/Tabela2.ashx?w=572&hash=FD54C25025A6D0FADA07248DAC9BC32F
Pharmaton Vitawin Cálcio contém 400 mg de cálcio, o que corresponde a 67% da recomendação diária para crianças entre 4 e 6 anos de idade e a 57% das recomendações diárias para crianças de 7 a 10 anos. Assim, o produto consegue oferecer um aporte de mais da metade da necessidade diária, e o restante da ingestão pode vir de alimentos fontes de cálcio, tais como leite, iogurte e queijos.

Além disso, Pharmaton Vitawin Cálcio apresenta em sua formulação vitaminas que também contribuem com a mineralização óssea, tais como as vitaminas B12 e K. Ademais, a vitamina D é essencial para a absorção e a utilização adequada do cálcio pelo organismo, aumentando a mobilização dos depósitos de cálcio e fósforo dos ossos e auxiliando na manutenção de ossos e dentes (ILSI, 2014).
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/04/monografia-pharmaton-vitawin-calcio/Tabela3.ashx?w=573&hash=8EE11ED2189209DA3047F62353A99278

REFERÊNCIAS

  1. American Academy of Pediatrics and Bright Futures.

    Guidelines for health supervision of infants, children, and adolescents.

    Third Edition, edited by Joseph Hagan, Jr., Judith S. Shaw, and Paula M. Duncan, 2008, Elk Grove Village, IL: American Academy of Pediatrics.

  2. Bueno MB, Fisberg RM, Maximino P, Rodrigues GP, Fisberg M.

    Nutritional risk among Brazilian children 2 to 6 years old: a multicenter study.

    Nutrition. 2013;29(2):405-10.

  3. Bueno AL, Czepielewski MA.

    A importância do consumo dietético de cálcio e vitamina D no crescimento.

    J Pediatr (Rio J). 2008;84(5):386-94.

  4. Coll C, Palacios J, Marchesi A.

    Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia evolutiva.

    Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

  5. Martinez FE, Monteiro JP.

    O papel das vitaminas no crescimento e desenvolvimento infantil.

    In: Fisberg M, Barros MJL. O papel dos nutrientes no crescimento e desenvolvimento infantil. São Paulo: Sarvier, 2008.

  6. Martini LA.

    O papel do cálcio no crescimento e desenvolvimento infantil.

    In: Fisberg M, Barros MJL. O papel dos nutrientes no crescimento e desenvolvimento infantil. São Paulo: Sarvier, 2008.

  7. Institute of Medicine.

    Dietary reference intakes for calcium, phosphorus, magnesium, vitamin D, and fluoride.

    Washington (DC): National Academy Press; 1997.

  8. Institute of Medicine.

    Dietary reference intakes for vitamin A, vitamin K, arsenic, boron, chromium, copper, iodine, iron, manganese, molybdenum, nickel, silicon, vanadium, and zinc.

    Washington (DC): National Academy Press; 2002.

  9. ILSI.

    Cálcio: funções plenamente reconhecidas de nutrientes.

    2014.

  10. ILSI.

    Magnésio: funções plenamente reconhecidas de nutrientes.

    2010.

  11. ILSI.

    Vitamina C: funções plenamente reconhecidas de nutrientes.

    2012.

  12. Klack K, Carvalho JF.

    Vitamina K: metabolismo, fontes e interação com o anticoagulante varfarina.

    Rev Bras Reumatol. 2006;46(6):398-406.