Prezado(a) doutor(a), 

 

É de conhecimento geral a pandemia do COVID-19 e estes comunicados têm como objetivo contribuir com atualizações sobre recomendações institucionais para os profissionais de saúde que acompanham pacientes com rinite alérgica sazonal. Compartilhamos, para seu conhecimento, o posicionamento da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) e da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF) a esse respeito.

 

Confira, no link abaixo, as recomendações da ASBAI publicadas em 06/04/2020, com o título: 
A pandemia COVID-19 e os indivíduos com Rinite Alérgica – Recomendações da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. 
(Documento na íntegra: http://asbai.org.br/a-pandemia-covid-19-e-os-individuos-com-rinite-alergicarecomendacoes-da-associacao-brasileira-de-alergia-e-imunologia/ ) 

Destacamos o trecho relativo ao uso de corticosteroides tópicos nasais: 

 

ASBAI: “Quanto aos corticosteroides tópicos utilizados para o controle da rinite alérgica, até o momento, as recomendações de órgãos internacionais de referência são a favor da manutenção do tratamento habitualmente utilizado antes da pandemia, inclusive para aqueles que estão com a COVID-19.” 

 

---------------------------------------------------------------------------- 

 

Confira, no link abaixo, as recomendações da ABORL-CCF publicadas em 22/03/2020, com o título: 
4ª NOTA DE ORIENTAÇÃO AOS MÉDICOS OTORRINOLARINGOLOGISTAS EM RELAÇÃO À DOENÇA CAUSADA PELO NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19) 
(Documento na íntegra: http://www.aborlccf.org.br/imageBank/2020-03-22_4%C2%AA_nota_abr_anosmia_ce_lnss_cens.pdf) 

 

Destacamos o trecho relativo ao uso de corticosteroides tópicos nasais:

 

ABORL-CCF: “Para o uso do corticosteroide tópico nasal em infecção aguda viral, há recomendação conflitante das Diretrizes Americana (2016) e Europeia (2020), portanto a ABR orienta evitar o uso do corticosteroide tópico nasal em quadros agudos virais neste contexto da COVID-19.” 

 

---------------------------------------------------------------------------------- 

 

Estamos em um momento em que as medidas de segurança e tratamento manejo dos pacientes vão se somando ou mudando globalmente a cada dia, à medida que surgem novos dados sobre o comportamento da COVID-19. Acompanhem as informações e as recomendações do Ministério da Saúde e demais autoridades pois, assim como em outras doenças, os cenários são dinâmicos, diferenciados e requerem permanente avaliação sobre condutas e procedimentos. 
É importante ressaltar que a Sanofi continuará priorizando suas iniciativas, mantendo o trabalho ético e científico que vem sendo construído ao longo dos anos, apoiando e respeitando o posicionamento das sociedades e instituições médicas. 

Allenasal® é um spray alérgico nasal que contém triancinolona acetonida, um glicocorticoide. Glicocorticoides, em geral, podem afetar a capacidade do organismo de combater uma infecção. Quando a triancinolona acetonida é administrada via intranasal, uma pequena parte pode ser absorvida pelo organismo. Entretanto, o risco exato da quantidade de triancinolona acetonida que pode afetar sua capacidade de combater uma infecção não é conhecido.

 

Em orientação recente a pacientes, a Organização Mundial de Alergia afirmou que, no momento, não há evidências de que corticoides inaláveis (nasal ou bronquial), anti-histamínicos ou medicamentos biológicos tenham algum efeito no risco de contrair a COVID-19

 

Atenciosamente.

 

Time Allegra/CHC – Sanofi

 

SABR.FEX.20.04.0522

REFERÊNCIAS

  1. ALLENASAL® (triancinolona acetonida, suspensão nasal aquosa).

    Indicações: tratamento das rinites alérgicas em adultos e crianças com idade igual ou superior a 2 anos. Contraindicações: hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula. Cuidados, Advertências e Reações Adversas: deve ser usado com cautela em pacientes com úlceras no septo nasal ou pós trauma nasal. Recomenda-se o monitoramento de pacientes com alterações visuais ou com histórico de aumento da pressão ocular. A administração em mulheres grávidas e que estejam amamentando deverá ser feita a critério médico, não devendo ser usado a menos que os benefícios terapêuticos para a mãe superem os riscos potenciais para o feto ou criança. A incidência de reações adversas relatadas foi geralmente muito baixa, sendo os mais comuns cefaleia, epistaxe, tosse, bronquite, dispepsia, rinite, faringite, e sintomas de gripe. Interações medicamentosas: não existem relatos até o momento de interação com outros medicamentos. Posologia: Adultos e crianças com idade igual ou superior a 12 anos: a dose inicial é 2 sprays em cada narina, uma vez ao dia. Crianças de 6 a 12 anos de idade: a dose inicial é de 1 spray em cada narina, uma vez ao dia. Pacientes que não obtiveram controle máximo dos sintomas com esta dose, podem obtê-lo com a 2 sprays em cada narina, uma vez ao dia, até que se controlem os sintomas. Crianças de 2 a 5 anos de idade: a dose inicial e máxima é 1 spray em cada narina, uma vez ao dia. VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA. Registro MS 1.1300.0292. Data da Revisão: 28/08/19. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO . SABR.FEX.20.04.0522 – Maio/2020