Introdução: A COVID-19 tem causado grande ônus na Bélgica, principalmente na região que circunda o Hospital East-Limburg, um centro de atendimento terciário. Para prevenir as infecções, o hospital tomou medidas, como: realização de testes laboratoriais, rastreamento de contatos de pacientes e funcionários sintomáticos, mudanças nas operações hospitalares e fornecimento de equipamento de proteção individual (EPI).1

 

Objetivo: Este estudo investigou a prevalência de anticorpos contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2) entre funcionários e voluntários do Hospital East-Limburg.1

 

Metodologia: No período do dia 22 a 30 de abril de 2020 testes rápidos de anticorpos (IgG e IgM) para SARS-CoV-2 foram realizados em todos que trabalhavam ou eram voluntários no Hospital East-Limburg. Os funcionários que manifestaram sintomas foram mantidos em quarentena e não foram incluídos. Também foi realizada uma pesquisa sobre os riscos de exposição (pacientes, colegas de trabalho e contatos domiciliares) e manifestação de sintomas. Foi feita uma análise sobre quais sintomas eram independentemente associados à soroprevalência.1

 

Resultados: Este estudo demonstrou que dentre os 3056 funcionários e voluntários do hospital, 197 (6,4%) tinham anticorpos IgG para SARS-CoV-2. A idade e o sexo não foram estatisticamente diferentes entre os funcionários com ou sem anticorpos. Trabalhar na linha de frente do manejo dos pacientes infectados, assim como ser exposto a colegas de trabalho com COVID-19 e permanecer trabalhando durante o período de lockdown não aumentaram as chances de ser soropositivo para SARS-CoV-2. Por sua vez, conviver com um familiar com suspeita ou infectado pelo vírus foi associado à presença de anticorpos.1  

 

Porcentagem de anticorpos contra SARS-CoV-2 nos grupos com exposição ou não a diferentes potenciais fatores de risco:

-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/06/deteccao-de-anticorpos-para-sars-cov-2-em-3056-funcionarios-de-um-centro-terciario-na-belgica/IMAGEM1-deteccao-anticorpos-belgica.ashx?w=1404&hash=D76255BE65A4EBAED34929DA7B5C01A3

Uma alta proporção de funcionários mencionou ter apresentado pelo menos um sintoma previamente (75%). Dentre aqueles com anticorpos, 30 (15%) não relataram sintomas. Ter histórico de anosmia foi associado à presença de anticorpos, com uma razão de chances (odds ratio) de 7,8 (IC95%, 5,2-11,5), assim como histórico de febre e tosse.1

 

Porcentagem de anticorpos contra SARS-CoV-2 de acordo com histórico de sintomas:

-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/06/deteccao-de-anticorpos-para-sars-cov-2-em-3056-funcionarios-de-um-centro-terciario-na-belgica/IMAGEM-2-deteccao-anticorpos-belgica.ashx?w=1404&hash=BEB406522BE4A1EB9E2537101FE86D43
Discussão:
A alta disponibilidade de equipamento de proteção individual, altos padrões de prevenção de infecção e triagem de funcionários sintomáticos com teste de PCR, juntamente com rastreamento de contatos e quarentena, podem explicar a soroprevalência relativamente baixa.1

 

As limitações deste estudo incluem o fato de ter sido avaliado um centro único e apenas 74% da equipe ter sido testada. A soroconversão pode não ter sido identificada se o teste foi realizado precocemente, durante a janela imunológica.1

 

A triagem rápida é importante no controle da pandemia e, no caso do hospital, a triagem de anticorpos para SARS-CoV-2 pode ajudar a monitorar a dinâmica de transmissão e avaliar as políticas de controle de infecção.1

Trabalhar na linha de frente, ser exposto a colegas de trabalho com COVID-19 e trabalhar durante a quarentena não aumentaram as chances de soroconversão. Porém, conviver com um contato domiciliar com suspeita ou infectado pelo vírus, foi associado à positividade de anticorpos.

 

Conclusão:

Neste estudo, estar diretamente envolvido no atendimento clínico ou trabalhar em uma unidade COVID-19 não aumentou as chances de ser soropositivo, enquanto ter um contato domiciliar com suspeita de COVID-19 foi associado a chances maiores.1

REFERÊNCIAS

  1. Steensels D, Oris E, Coninx L, et al.

    Hospital-Wide SARS-CoV-2 Antibody Screening in 3056 Staff in a Tertiary Center in Belgium.

    JAMA. 2020. doi:10.1001/jama.2020.11160.