Em 2019, 977 pessoas contraíram a forma clínica mais frequente da Doença Meningocócica, segundo dados do Governo Federal.1 Esse número pode ser reduzido com a vacinação dos principais portadores da bactéria causadora da doença, os adolescentes.2,3 Graças ao seu estilo de vida, eles são um dos grupos que correm mais riscos de contrair e de transmitir a doença.2,4,5 Em 2020, O SUS começou a oferecer a vacina contra os sorogrupos ACWY de maneira gratuita para adolescentes de 11 e 12 anos de idade, marcando, assim, mais um avanço no combate da doença meningocócica no Brasil.5,6 A vacinação em adolescentes além de protegê-los, contribui para a proteção da população em geral uma vez que menos pessoas tendem a transmitir a bactéria causadora da doença.7

 

Entenda um pouco mais sobre a doença:

A Meningite Meningocócica afeta pessoas de todas as idades, principalmente crianças, adolescentes e jovens adultos.2,5 Por mais que seja uma doença rara, ela tem alta letalidade (até 50% quando não é tratada), podendo matar em 24 horas após o início dos sintomas ou, em 10% a 20% dos casos, provocar graves sequelas como deficiência ou perda auditiva e dano cerebral.5 
Apesar da disponibilidade das vacinas conjugadas (meningocócica C e ACWY) nos postos de saúde e Unidades Básicas de Saúde, a baixa cobertura vacinal de adolescentes ainda é um desafio. De acordo com os dados do Ministério da Saúde, a vacinação contra meningite em adolescentes no Brasil teve uma meta de 80% estabelecida pelo Programa Nacional de Imunização para 2018.6,7

 

Quer saber mais como apoiar a importância da vacinação? Entre em contato conosco:

 

 

Danusa Lelis
Relações Governamentais da Sanofi Pasteur
Danusa.Lelis@sanofi.com
+55(61)992744033 
Clique aqui para entrar em contato

 

 

 

SPBR.MENID.20.06.0142

REFERÊNCIAS

  1. Sistema Eletrônico de Serviço de Informação ao Cidadão (e-SIC).

  2. Christensen H, May M, Bowen L, Hickman M, Trotter CL.

    Meningococcal carriage by age: a systematic review and meta-analysis.

    Lancet Infect Dis. 2010;10(12):853-61.

  3. Burman C, Serra L, Nuttens C, Presa J, Balmer P, York L.

    Meningococcal disease in adolescents and young adults: a review of the rationale for prevention through vaccination.

    Hum Vaccin Immunother. 2019;15(2):459‐69.

  4. World Health Organization (WHO).

    Meningococcal meningitis. In: Transmission.

    [Internet] Disponível em: http://www.who.int/emergencies/diseases/meningitis/en/. Acesso em: 4 jun. 2020.

  5. World Health Organization (WHO).

    Meningococcal meningitis.

    [Internet] Disponível em: https://www.who.int/news-room/factsheets/detail/meningococcalmeningitis. Acesso em: 4 jun. 2020.

  6. Ministério da Saúde (MS).

    Calendário Nacional de Vacinação.

    Disponível em: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/vacinacao/calendario-vacinacao. Acesso em: 3 jun. 2020.

  7. Ministério da Saúde (MS).

    Informe técnico da ampliação da oferta das vacinas papilomavírus humano 6, 11, 16 e 18 (recombinante) – vacina HPV quadrivalente e meningocócica C (conjugada).

    Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/marco/14/Informe-T--cnico-HPV-MENINGITE.pdf Acesso em 05 jun. 2020.