Não existe consenso sobre a definição da EM ativa, mas, em comum a todas as definições, ocorre uma progressão da incapacidade seguida de surtos frequentes, em geral com recuperação incompleta, e uma alta atividade de doença vista na Ressonância Magnética (RM).

 

Mais recentemente, um estudo dividiu a EM ativa em três subgrupos baseados no EDSS e no tempo para desenvolver a forma secundária progressiva:

  • AMS1 (Active Multiple Sclerosis ) – pacientes atingem EDSS 6 nos primeiros cinco anos do início da doença.
  • AMS2 – pacientes atingem EDSS 6 aos 40 anos.
  • AMS3 – pacientes desenvolvem EMSP em três anos após o início da forma RR.

Confira o vídeo sobre EM altamente ativa, como identificar e tratar. Com a abordagem da Dra. Renata Faria Simm (CRM SP088560).