A importância da dose plena de lansoprazol segundo o IV Consenso Brasileiro para erradicação do Helicobacter pylori

Com base nesses achados, o IV Consenso Brasileiro sobre o Helicobacter pylori5 recomenda o uso de altas doses de IBPs, sugerindo que tal conduta pode superar a resistência in vitro


Os inibidores da bomba de prótons (IBPs) são parte importante nos esquemas de erradicação do Helicobacter pylori (H. pylori). Esse micro-organismo se multiplica em pH quase neutro (6-7); já o pH ácido o faz assumir a forma cocoide, resistente a antibióticos1. Sabendo disso, é crucial a elevação do pH intragástrico com IBPs durante o tratamento de erradicação do H. pylori como forma de aumentar a eficácia dos antibióticos utilizados nos esquemas. A amoxicilina, parte da maioria dos esquemas de erradicação, age interferindo na síntese da parede celular bacteriana, necessitando, portanto, que o H. pylori esteja se multiplicando para agir sobre ele. Já em 1998, Sjöstedtet al2 encontraram índices significativamente melhores de erradicação nos pacientes que mantiveram o pH > 4 por mais do que 84,2% do tempo e naqueles que mantiveram o pH > 6 por períodos contínuos maiores do que 156 minutos. Esses dados enfatizam a importância da inibição ácida nos esquemas de erradicação do H. pylori. Trabalhos experimentais sugerem ação antibacteriana dos IBPs, como descrito por Iwahi et al3, que demonstraram atividade antimicrobiana significativa do lansoprazol contra o microrganismo, comparável ao citrato de bismuto e quatro vezes maior que a do omeprazol. Nagata et al4 descrevem um efeito inibidor do lansoprazol no sistema respiratório do H. pylori e discutem o possível envolvimento dessa inibição na sua ação bactericida. Com base nesses achados, o IV Consenso Brasileiro sobre o Helicobacter pylori5 recomenda o uso de altas doses de IBPs, sugerindo que tal conduta pode superar a resistência in vitro. Em sua tabela 2 (ver a seguir), o consenso discrimina as opções terapêuticas e enfatiza a necessidade de dose plena de IBP, distinguindo o que é considerado dose plena para cada um dos IBPs.

REFERÊNCIAS

  1. Ierardi E, Losurdo G, La Fortezza RF et al.

    Optimizing proton pump inhibitors in Helicobacter pylori treatment: old and new tricks to improve effectiveness.

    World J Gastroenterol. 2019;25(34):5097-104.

  2. Sjöstedt S, Sagar M, Lindberg G et al.

    Prolonged and profound acid inhibition is crucial in Helicobacter pylori treatment with a proton pump inhibitor combined with amoxicillin.

    Scand J Gastroenterol. 1998;33(1):39-43.

  3. Iwahi T, Satoh H, Nakao M et al.

    Lansoprazole, a novel benzimidazole proton pump inhibitor, and its related compounds have selective activity against Helicobacter pylori.

    Antimicrob Agents Chemother. 1991;35(3):490-6.

  4. Nagata K, Sone N, Tamura T.

    Inhibitory activities of lansoprazole against respiration in Helicobacter pylori.

    Antimicrob Agents Chemother. 2001;45(5):1522-7.

  5. Coelho LGV, Marinho JR, Genta R et al.

    IVth Brazilian consensus conference on Helicobacer pylori infection.

    Arq Gastroenterol. 2018;55(2):97-121.