Identificação dos obstáculos comuns à melhoria.

A equipe de melhoria deve tomar algumas decisões sobre a abordagem institucional no que se refere à prevenção do TEV, de maneira a permitir a padronização e a medição a fim de obter a definição comum de boas práticas.

Identificação dos modos de falha comuns.

Além dos obstáculos, há diversos pontos fracos nos processos específicos da prevenção do TEV. Um modo de falha comum é a falta de protocolos ou order sets padronizados para a prevenção do TEV. Esses modos de falha incluem as duas principais fontes de colapso do processo demonstradas. Superar essas falhaslevará a equipe para o Nível 3 na hierarquia de confiabilidade. 

Os modos de falha comuns podem incluir também os seguintes aspectos:

  o paciente recebe a profilaxia correta, mas o risco de TEV/sangramento muda e não se faz o ajuste;

  a profilaxia é perdida ou alterada na transferência para o ambiente perioperatório;

  a profilaxia correta é solicitada, mas não administrada (ou o paciente recusa o tratamento);

  o paciente não é preparado da maneira ideal;

  os fatores de risco evitáveis (ex.: cateter venoso central) não são tratados da maneira ideal;

  a profilaxia é interrompida na alta, mesmo quando o paciente tem indicação para profilaxia de duração prolongada. Essa lista cobre os problemas mais dominantes, e abordá-los da maneira correta deve levar as taxas elevadas de profilaxia adequada para TVP.

Essa lista cobre os problemas mais dominantes, e abordá-los da maneira correta deve levar as taxas elevadas de profilaxia adequada para TVP.

Diagramação da administração do tratamento para identificar os modos de falha.

Para criar as intervenções, a equipe precisa diagramar a administração do tratamento. A diagramação identifica as falhas ou as oportunidades perdidas de prevenção do HA-VTE.

Figura 1.1: Mapa do processo de profilaxia para TEV com as áreas de falha comuns
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/08/isasz-resumo-guia-ahrq-capitulo-dois/fig-1-(1).ashx?w=850&hash=AB7B1D74D3EF2231A1F2D19FDE57C016

REFERÊNCIAS

  1. Maynard G.

    Preventing hospital-associated venous thromboembolism: a guide for effective quality improvement, 2nd ed. Rockville, MD: Agency for Healthcare Research and Quality

    October 2015.AHRQ Publication No. 16-0001-EF.