O Brasil tem, hoje, dois dispositivos digitais por habitante, incluindo smartphones, computadores, notebooks e tablets. O país tem 420 milhões de aparelhos digitais ativos. Entre os aparelhos, o uso de smartphone se destaca: segundo o levantamento, há, hoje, 230 milhões de celulares ativos no país. Já o número de computadores, notebooks e tablets em uso no Brasil é de 180 milhões. Houve um aumento de 10 milhões no número de smartphones ativos em relação a 20181

Com todo esse desenvolvimento tecnológico, a Medicina também se beneficiou de diversas formas, desde a divulgação para a população de mais informações sobre diversas doenças até o acesso aos serviços de saúde, integrando regiões remotas com serviços de saúde localizados em hospitais e centros de referência, no que se refere à prevenção, ao diagnóstico e ao tratamento, constituindo, assim, um modelo de assistência médica chamado telemedicina2.
Na Neurologia, especificamente, temos um grande impacto no crescimento das doenças que se originam no sistema nervoso central e isso se deve, principalmente, ao envelhecimento da população brasileira. Por exemplo, a demência aumenta progressivamente, sendo a idade o maior fator de risco para a doença. A partir dos 65 anos, sua prevalência dobra a cada cinco anos. Entre 60 e 64 anos, apresenta prevalência de 0,7%, passando para 5,6% entre 70 e 79 anos e chegando a 38,6% nos nonagenários3.

Segundo os dados do IBGE, o país, atualmente, tem 28 milhões de idosos, 13,5% do total da população. A população idosa (acima de 60 anos) deve dobrar no Brasil até o ano de 2042, em comparação com os números de 2017. Em 2031, o número de idosos (43,2 milhões) vai superar pela primeira vez o número de crianças e adolescentes de zero a 14 anos (42,3 milhões)4.

Além disso, no caso dos pacientes com insônia, com ou sem depressão associada, é recomendação, padrão ouro5, a terapia cognitivo comportamental com foco na insônia (TCC-I). Há algum tempo, somente podíamos indicar esta terapia na forma presencial e, atualmente, podemos acessar via computador, tablet ou smartphone, de maneira online.
Já que estamos vivendo mais e acabamos tendo mais propensão a diversas doenças, que tal utilizarmos essa tecnologia a nosso favor? Com esse objetivo, a Sanofi lançou dois serviços online para pacientes de insônia e para os pacientes de depressão:
  • O programa Sono dos Sonhos são sessões online e 100% gratuitas para os pacientes de insônia, que se baseia nas técnicas da TCC-I, para auxiliar e complementar o tratamento de seu paciente.
  • o CUCO HEALTH, é um aplicativo que ajuda o paciente lembrando-o dos horários das medicações, ajudando-o na adesão ao tratamento e fornecendo a ele mais informações sobre seu problema.