Paciente de 26 anos de idade, na nona semana de gestação, em primeira consulta de pré-natal.
Primeira gestação sem complicações.
Negou antecedentes de infertilidade ou abortos.
Negou autoimunidade pessoal ou na família.
Negou tireoidopatias prévias (pessoal ou familiar)

Screening universal

Para discutir a questão controversa do rastreamento universal na gestante, o Dr. Malavasi destacou o fato de os consensos nacionais e internacionais não indicarem a necessidade de hormônio tireoestimulante (TSH) em todas as gestantes. De fato, não se demonstrou vantagem em detectar e tratar gestantes com TSH elevado para o desempenho cognitivo das crianças.1,2  A Dra. Patrícia, defendendo o seu ponto de vista como endocrinologista, mostrou que o rastreamento universal se justifica pela elevada prevalência de hipotireoidismo na gestação e pelo fato de se tratar de condição que pode ser assintomática, mas que pode provocar efeitos deletérios severos sobre o decurso da gestação e sobre a saúde fetal, configurando um verdadeiro problema de saúde pública.3

A Dra. Patrícia, defendendo o seu ponto de vista como endocrinologista, mostrou que o rastreamento universal se justifica pela elevada prevalência de hipotireoidismo na gestação e pelo fato de se tratar de condição que pode ser assintomática, mas que pode provocar efeitos deletérios severos sobre o decurso da gestação e sobre a saúde fetal, configurando um verdadeiro problema de saúde pública.3

Ela mostrou uma revisão sistemática e metanálise comprovando o aumento do risco de perda fetal em grávidas com hipotireoidismo subclínico3 e uma metanálise que demonstra o efeito nocivo também sobre a inteligência dos filhos dessas mulheres.
E ressaltou que temos um teste simples e seguro que possibilita a detecção e o tratamento com levotiroxina para gestantes com hipotireoidismo, o que tem impacto no desenvolvimento da gestação, pode afetar a cognição das crianças e, se isso for comprovado (o que ainda não ocorre), terá custo-benefício favorável.3,5 

A plateia votou maciçamente a favor do screening universal de patologias tireoidianas com dosagem de TSH em todas as gestantes.
 

E ressaltou que temos um teste simples e seguro que possibilita a detecção e o tratamento com levotiroxina para gestantes com hipotireoidismo, o que tem impacto no desenvolvimento da gestação, pode afetar a cognição das crianças e, se isso for comprovado (o que ainda não ocorre), terá custo-benefício favorável.3,5