A vacinação contra a gripe demonstrou ser particularmente importante para crianças, idosos e aqueles com comorbidades associadas, resultando em uma alta carga socioeconômica devido ao afastamento das atividades de trabalho, perda de produtividade, aumento dos custos de saúde e consumo de antibióticos4

Existem duas linhagens antigenicamente distintas de vírus influenza B, chamadas de linhagens Victoria e Yamagata
. A imunização contra cepas do vírus influenza B de uma linhagem fornece apenas proteção cruzada limitada contra cepas da outra linhagem5.

A vacina contra a gripe tem sua evolução desenhada de acordo com a identificação de diferentes cepas de influenza com impacto em saúde, a cocirculação de diferentes cepas; sendo que as  vacinas quadrivalentes (QIV) foram projetadas para fornecer proteção mais ampla contra os vírus influenza B circulantes em temporadas durante as quais o vírus B contido nas vacinas trivalentes não é uma combinação ideal para o vírus B circulante predominante5. A circulação da cepa B é imprevisível (Figura 1), podendo variar de 20 a 30% em todo o mundo e embora cause doença em todas as faixas etárias, sua incidência relativa parece ser maior nas crianças e adultos jovens6,7

Figura 1 - A circulação de cepa B apresenta alta imprevisibilidade8,9
No Brasil, desde 2012, a não concordância entre a cepa vacinal e a cepa circulante tem sido evidenciada e uma descrição de série histórica de 10 anos demonstra que foi superior a 80% em 4 temporadas10,11. As vacinas disponíveis são diferentes entre o setor público e o setor privado. A campanha nacional anual de vacinação contra a gripe, realizada pelo PNI, faz a distribuição e aplicação de vacinas trivalentes (TIV) e o setor privado é abastecido quase em sua totalidade pela vacina quadrivalente (QIV). Uma análise de modelagem recente indica que o impacto de uma vacina quadrivalente (QIV) na população pediátrica de 6 meses a 5 anos completos pode resultar em uma redução de aproximadamente 406.600 casos de influenza B sintomáticos e aproximadamente 400 mortes anuais, o que poderia ser traduzido em cerca de 3.400 anos de vida salvos11.

Figura 2 - Não concordância de cepa B vacinal e circulante no Brasil, desde 20107,10,11 (adaptado).
 
Também se faz necessário comentar que nos países nos quais foi introduzida, a vacina QIV já é considerada padrão ouro de prevenção contra gripe e países da América Latina como Panamá, Costa Rica e El Salvador implementaram a vacina quadrivalente (QIV) em seu programa público de vacinação. 

A OMS não dá preferência para a vacina contra a gripe, mas esclarece que sempre que possível a vacina quadrivalente (QIV) deve ser a escolhida2.