-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/12/isasz-orientacoes-alta-hospitalar/13079_tabela.ashx?w=550&hash=384439B3A45FB9DDB2EC9439235818D4
Cuidados durante o uso da medicação:
  • Mantenha o medicamento em temperatura ambiente (entre 15 e 30 ºC), protegido da luz;
  • Alterne os locais de injeção todos os dias;
  • Faça a aplicação todos os dias no mesmo horário;
  • Não torça a tampa, pois pode entortar a agulha;
  • Não injete sobre uma cicatriz, ferimento ou área em que possa haver atrito com a sua roupa;
  • Não esfregue após a aplicação.

Caso se esqueça de administrar uma dose, administre-a assim que possível. No entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por esse horário, respeitando sempre o intervalo determinado. Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Assinatura do profissional de saúde responsável

O que são trombose venosa profunda e tromboembolia pulmonar?

Trombose é a formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias da circulação profunda do corpo, geralmente nas pernas. O coágulo bloqueia o fluxo de sangue e causa inflamação, levando a inchaço, vermelhidão e dor no local. Porém, até 70% desses eventos podem ser assintomáticos.1 

Dessa forma, a suspeita clínica, geralmente baseada na presença de outros fatores de risco, é extremamente importante para o diagnóstico. Se não tratada, a trombose venosa profunda (TVP) pode levar a alterações persistentes na pele e até a feridas de cicatrização difícil.1 

Além disso, caso parte do coágulo se desprenda, pode ser transportada pela corrente sanguínea, obstruindo a circulação dos pulmões, em um processo chamado de tromboembolia pulmonar (TEP).

Essa condição pode levar à morte súbita ou causar um ou mais sintomas, como uma crise de falta de ar, dor no tórax ao respirar, tosse seca ou com rajas de sangue e palpitações. 

Tromboembolismo venoso (TEV) engloba tanto TVP quanto TEP, sendo a terceira causa de mortalidade cardiovascular, perdendo apenas para as tromboses do sistema arterial, ou seja, infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC).1,2
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/12/isasz-orientacoes-alta-hospitalar/Picture2.ashx?w=1382&hash=43F90A18A05DB084BAD059DEC4CCACD7
Em caso de dúvidas, consulte o seu médico. 

Profilaxia de TEV – como é feita, quando e para quem?

A profilaxia de TEV, ou seja, o uso de medidas preventivas, tem como objetivo reduzir a ocorrência de TEV e suas consequências. A principal medida é caminhar, pois os músculos das panturrilhas funcionam como bombas, evitando a estagnação do sangue nas pernas. No entanto, nem sempre é possível deambular o suficiente, como durante as hospitalizações. Nesses casos, a recomendação é para iniciar ou manter a deambulação, mas o médico pode indicar também o uso de medicações anticoagulantes.2,5

Quais pacientes precisam manter a profilaxia de TEV em casa ou em homecare?

Cerca de 60% a 70% de todos os casos de TEV são associados à hospitalização.6 A internação é, por si só, fator de risco para TEV após a alta hospitalar. A maioria dos TEV sintomáticos associados a internações ocorre após a alta hospitalar, quando é até três vezes mais frequente do que durante a internação.6 

Apesar de o risco tromboembólico ser mais elevado nas quatro semanas após a alta hospitalar, esse risco pode persistir por até três meses. Por isso é imprescindível continuar o uso de tromboprofilaxia após a alta hospitalar, de acordo com a indicação médica.6
 
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/12/isasz-orientacoes-alta-hospitalar/Picture3.ashx?w=1391&hash=6B3D4AB6B2F1CA23B0B814C1B4F1A58B
A medicação anticoagulante deve ser utilizada apenas de acordo com a prescrição médica. Não interrompa nem altere a dose prescrita sem uma ordem médica específica.
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/12/isasz-orientacoes-alta-hospitalar/Picture4.ashx?w=1430&hash=4F0E8D6107419F46BFC811DA12DA83AE
Material a ser disponibilizado pelo médico ao paciente unicamente em caso de prescrição de terapia medicamentosa anticoagulante. 

Para mais informações, entrar em contato pelo telefone e e-mail do SAC: 0800-703-0014/sac.brasil@sanofi.com.
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/12/isasz-orientacoes-alta-hospitalar/13079_imagem1-01-v2.ashx?w=1430&hash=DFFD46E00688810DEBE6894B82ED55E5
Como aplicar o medicamento
O paciente pode aplicar a medicação injetável sozinho. A injeção é facilmente aplicável, diretamente no tecido adiposo. O procedimento é totalmente seguro: a seringa possui um mecanismo de segurança que envolverá a agulha assim que o êmbolo (dispositivo interno da seringa que se movimenta quando pressionado) for completamente pressionado e a seringa estiver vazia.

Aplicação do medicamento
Antes da aplicação, proceda à leitura da bula e lembre-se de fazer a correta higienização das mãos. Limpe (não esfregue) com álcool o local selecionado para injeção e selecione uma área diferente do abdômen inferior a cada aplicação.
 
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/12/isasz-orientacoes-alta-hospitalar/Picture6.ashx?w=891&hash=C6B0D5097D256F9A714385F0A64BAC30
1)  Remova a capa protetora da agulha:

Uma gota pode aparecer na ponta da agulha. Caso isso ocorra, remova-a, antes de injetar o medicamento, através de batidas suaves no corpo da seringa com a agulha apontada para baixo. Não expelir qualquer bolha de ar da seringa antes de administrar a injeção. Para doses maiores, ajuste a quantidade do medicamento a ser injetada, segundo o peso corpóreo do paciente. Com isso, qualquer excesso de medicamento deve ser expelido antes da injeção.
 
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/12/isasz-orientacoes-alta-hospitalar/Picture7.ashx?w=788&hash=3E63DE73AB8A63D71D154DE192D78765
2) Proceda à aplicação:

O local recomendado para a injeção é a camada de gordura da parte inferior do abdômen, a pelo menos 5 centímetros de distância do umbigo para fora e em ambos os lados.
 
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/12/isasz-orientacoes-alta-hospitalar/thumbnail-corpo-v2.ashx?w=376&hash=541150B17F4E5BEAB553CB42FC8C2998
Antes da injeção, lave as mãos. Limpe (não  esfregue) com álcool o local selecionado para a injeção. Você deve selecionar uma área diferente do abdômen inferior a cada aplicação.

O medicamento deve ser administrado por injeção subcutânea profunda, no tecido subcutâneo da parede abdominal, com o paciente deitado ou sentado, em posição confortável, alternando entre os lados esquerdo e direito a cada aplicação.
 
A agulha deve ser introduzida perpendicularmente na espessura de uma prega cutânea feita entre os dedos polegar e indicador. A prega deve ser mantida durante todo o período da injeção. Não esfregue o local da injeção após o procedimento.

Além disso, caso parte do coágulo se desprenda, pode ser transportada pela corrente sanguínea, obstruindo a circulação dos pulmões, em um processo chamado de tromboembolia pulmonar (TEP).1

-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/12/isasz-orientacoes-alta-hospitalar/13079_vacina4-01-2.ashx?w=550&hash=CAD6DCB586BD57A41D1835EE4F75E774
3) e 4) Acione o mecanismo de segurança:

O dispositivo de segurança é automaticamente ativado quando o êmbolo é pressionado até o final, protegendo completamente, desse modo, a agulha usada, sem causar desconforto ao paciente. A ativação do dispositivo de segurança só é possível se o êmbolo for completamente abaixado.
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2020/12/isasz-orientacoes-alta-hospitalar/Picture9.ashx?w=688&hash=8F23F81294B66D660FEE08C5B54AB261
5) Descarte adequadamente:
A seringa com o dispositivo de segurança já pode ser descartada no local apropriado.

Publicação destinada ao paciente. O conteúdo deste material é de responsabilidade de seu autor, não refletindo necessariamente a opinião da Sanofi.