Image

Vacinas para Pertussis acelulares ou de células inteiras podem ser utilizadas no esquema primário de imunização.

Um estudo realizado recentemente na Polônia mediu a duração de proteção para Pertussis em crianças que receberam a primeira dose com vacina de Pertussis acelular ou de células inteiras, já que no país ambas vacinas foram usadas em proporções comparáveis no esquema primário de vacinação (3+1) na Polônia.

Dessa forma, foi possível testar o efeito da primovacinação na duração da proteção, utilizando-se a distribuição dos níveis de anticorpos específicos anti-toxina pertussis por idade como um proxy para a duração da proteção.

METODOLOGIA
Critérios de inclusão:

2017-2019
2753 crianças participaram

6-15 anos
  • Essas crianças deveriam ter feito a série primária de vacinação com 4 doses e um reforço aos 6 anos de idade.
  • NÃO poderiam ter feito dose de reforço na adolescência.
  • Concentrações de anticorpos IgG e IgA séricos anti-toxina pertussis foram medidos através de teste de ELISA - esses anticorpos mediam a toxina da bactéria pertussis (e não anticorpo vacinal, já que as crianças incluídas no estudo não receberam a dose de reforço) e indicavam a possível exposição desses indivíduos à infecção.
  • Infecção recente foi qualificada de acordo com o algoritmo publicado por Riffelmanet al., 2010.

  • RESULTADOS
  • A proporção de infecções recentes foi menor entre as crianças de 7 a 12 anos em comparação com as de 13 e 14 anos.
  • A análise de regressão linear de GMCs (concentração média geométrica) anti-IgG-PT (anti-IgG para toxina pertussis) confirmou que a resposta diminuiu ao longo do tempo, mas mostrou que as concentrações de anticorpos anti-PT aumentaram de 10 para 14 anos de idade, indicando que essas crianças eram cada vez mais suscetíveis à infecção por B.pertussis.
  • O ponto de inflexão e a inclinação dessas tendências crescentes foram comparáveis entre os grupos com primer com wP (vacina de células inteiras) e com primer com aP (vacina pertussis acelular).
Estes resultados sugerem que, independente da vacina utilizada na infância (aP ou wP), a diminuição da proteção no início da adolescência acontece na mesma proporção, evidenciando a importância da dose de reforço.
CONCLUSÕES
A distribuição de GMCs anti-PT por idade demonstrou um aumento da suscetibilidade a B. pertussis entre crianças ≥ 10 anos de idade.