O QUE É MENINGITE MENINGOCÓCICA E QUAIS SUAS CONSEQUÊNCIAS? 
A Meningite Meningocócica é uma infecção bacteriana grave das membranas que recobrem o cérebro e a medula espinhal.1 

Em alguns casos, a bactéria Neisseria meningitidis, que causa a meningite meningocócica, pode atingir a corrente sanguínea e se multiplicar (Meningococcemia), danificando as paredes dos vasos sanguíneos e causando sangramento na pele e nos órgãos.2 

Se não tratada, a meningite meningocócica pode, em 10% a 20% dos sobreviventes, resultar em:1

-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Dano-cerebral.ashx?w=470&hash=454C957CFF9EE7EE015CF04CE0F0B48B
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Perda-ou-deficiencia.ashx?w=615&hash=9C59891E5460DC42BF4758468C952268
POR QUE A MENINGITE MENINGOCÓCICA É TÃO PERIGOSA E DEVE SER PREVENIDA?

Os sintomas iniciais podem ser semelhantes aos de uma gripe e podem piorar rapidamente.2 Ela progride para choque, falência de múltiplos órgãos e óbito em 24 horas se não houver tratamento urgente.3

Infelizmente, a maioria dos casos é diagnosticada após o aparecimento de sintomas tardios e é bastante comum encontrar pacientes hospitalizados com o diagnóstico inicial incorreto.3
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Primeiros-sintomas.ashx?w=804&hash=D9B025AF633EC21613AFC27DCD02BB61
Dor de cabeça, febre, náusea, vômito e dor de garganta: podem surgir de 0 a 6 horas após o período de incubação.1,4
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Sintomas-classicos.ashx?w=687&hash=D9A81390A3C2A41E553978477AD82D38
Intolerância à luz, dor no pescoço, rigidez na nuca e erupção hemorrágica: são geralmente observados entre 13 e 15 horas após o início dos sintomas.1,4
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Sintomas-tardios.ashx?w=794&hash=32FEAC7AAECBBEA80E31D71583504AD4
Convulsão, confusão, delírio e inconsciência: podem aparecer 16 a 22 horas após o início dos sintomas.1,4

COMO ACONTECE A TRANSMISSÃO E QUAIS SÃO OS FATORES DE RISCO?
As bactérias são transmitidas de pessoa para pessoa através de gotículas de secreção respiratória ou da garganta de portadores. Alguns comportamentos facilitam a propagação da doença de uma pessoa infectada, como:5 
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Beijar.ashx?w=326&hash=C08435ABBC58EFD4B1B6FFFB721198DE
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Tossir.ashx?w=322&hash=44E8D3D352C1C83805F253C0D18037F3
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Espirrar.ashx?w=338&hash=5EC10190FAE82C848F671F1F132512A3
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Comer.ashx?w=696&hash=A50ED095647093F429E84A6806A386CC
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Picture1.ashx?w=1462&hash=59AD317DBFFF340E758F89D6E4EF73AB
Legenda: Cerca de 20% dos adolescentes são portadores transitórios assintomáticos da bactéria Neisseria meningitidis.6

DOSES POR FAIXA ETÁRIA

O Ministério da Saúde recomenda este esquema para a vacina meningocócica:7

  • 1ª Dose: 3 meses;
  • 2ª Dose: 5 meses;
  • Reforço: 12 meses;
  • Dose única ou reforço: 11 a 12 anos.
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/doses-por-faixa-etaria.ashx?w=1920&hash=9D55F7D2765D88C3FFB95E29CD3400EC
ADOLESCENTES DE 11 A 12 ANOS - BAIXA ADESÃO À VACINAÇÃO8

Importância da vacinação nesta faixa etária:8
  • Principais portadores da bactéria que causa a doença
  • Maiores taxas de transmissão
  • Maior risco de contágio
  • Elevados índices de mortalidade
  • Sequelas físicas e psicológicas graves
A VACINA é a principal forma de prevenção contra Meningite Meningocócica.9
 
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Vacina.ashx?w=753&hash=570DCF83B9494829950BB3E62436EC11
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Prevenca.ashx?w=651&hash=553DDD7D0DFB4450297592AAE1E1EF32
O risco de contágio pode ser reduzido evitando a exposição aos seguintes fatores:10 
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Pessoas.ashx?w=850&hash=0CACA47E067E0897E0D0726EA270860A
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Ventilacao.ashx?w=1097&hash=79A7C0C66E4EA5E5A78E1D4DFB43575C
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Lugares.ashx?w=629&hash=95DAE9321342CDC3D6A5004D50CDE966
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Corpotal.ashx?w=651&hash=0948BC3831FAB3AAE5E2FAC4DF9172B7
VACINAS

Todas as vacinas meningocócicas são inativadas,
ou seja, não contêm bactéria viva, o que significa que é impossível infectarem o organismo.11 As vacinas contra os tipos (sorogrupos) A, B, C, W e Y são seguras e com boa eficácia.9
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/02/tudo-sobre-doenca-meningococica/Doses.ashx?w=1920&hash=EF17D0D720F5A2995581AE1CB20E2423
A proteção gerada pelas vacinas conjugadas (meningocócica C e ACWY) não é para toda a vida. O mesmo acontece com quem teve a doença, ou seja, a quantidade de anticorpos diminui ao longo do tempo e o indivíduo deixa de estar protegido, por isso a importância das DOSES DE REFORÇO.