HEXAXIM®, uma vacina hexavalente acelular, inclui uma combinação de antígenos bacterianos e virais que induz a produção de anticorpos e a proteção contra as respectivas enfermidades:1,2 
● Difteria, tétano e coqueluche (pertussis) - vacina tríplice bacteriana acelular (DTPa);
● Hepatite B;
● Poliomielite - vacina inativada da poliomielite;
● Doenças invasivas causadas pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b

Esquema vacinal

HEXAXIM® é indicada para vacinação primária e de reforço em lactentes e crianças a partir de 6 semanas de idade.1

Vacinação primária:
O esquema de vacinação primária consiste de três doses de 0,5mL (normalmente aos 2, 4 e 6 meses de idade) a serem administradas em intervalos de ao menos 4 semanas.1

Todos os esquemas de vacinação, incluindo o do Programa Nacional de Vacinação, podem ser aplicados com ou sem uma dose de vacina hepatite B aplicada ao nascer. Quando uma dose de vacina hepatite B é aplicada ao nascer, HEXAXIM® pode ser utilizada para complementar as doses de vacina de hepatite B a partir das 6 semanas de idade.1 

Vacinação de reforço:
Após a vacinação com 3 doses de 0,5mL de HEXAXIM®, uma dose de reforço deve ser administrada (entre 15 e 18 meses).1,2,3

Após o esquema de vacinação primária de três doses com HEXAXIM® e na ausência de vacinação contra a hepatite B no nascimento, é necessário dar uma dose de reforço da vacina hepatite B. HEXAXIM® pode ser considerada para esse reforço.1

HEXAXIM® também pode ser usada como dose de reforço para indivíduos que tenham recebido anteriormente outra vacina hexavalente ou uma vacina pentavalente associada a hepatite B.
 
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/03/administracao-hexaxim/Graf1.ashx?w=1475&hash=9B3DFD31DAF7476B64C8B34FA944E764
Figura 1. Esquema vacinal sugerido em bula e pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). Adaptado da Bula de HEXAXIM® e da Sociedade Brasileira de Imunizações (2020).1,3

Administração

Antes da aplicação, agitar bem a seringa até o conteúdo se tornar uma suspensão turva e uniforme.1

A suspensão deve ser inspecionada visualmente antes da administração. Se for observada alguma partícula estranha ou alteração do aspecto, descartar a seringa.1
 
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/03/administracao-hexaxim/Graf2.ashx?w=1405&hash=6B31F0A5B0368E58E8CFDEAEB01838E4
Figura 2. Vias de administração da vacina HEXAXIM® recomendadas segundo a faixa etária. Adaptado da Bula de HEXAXIM®.1

As vias intradérmica e intravenosa não devem ser utilizadas.
Não administrar por injeção intravascular: certificar-se de que a agulha não penetrou em um vaso sanguíneo.1

Quando este medicamento não deve ser usado?

Caso a criança:1
● Tenha histórico de reação anafilática após administração anterior desta vacina.
● Apresentou hipersensibilidade a qualquer componente da vacina ou a qualquer outra vacina pertussis (coqueluche), ou após a administração desta vacina ou de uma vacina contendo os mesmos componentes ou constituintes.
● Tenha tido encefalopatia em até 7 dias após uma dose de qualquer vacina contendo antígenos pertussis (vacinas de células inteiras ou acelulares).
● Tenha doença neurológica progressiva, epilepsia não controlada, encefalopatia progressiva. A vacina pertussis não deve ser administrada em indivíduos com estas condições até que o tratamento seja estabelecido, as condições estejam estáveis e o benefício claramente supere o risco.

No caso de encefalopatia, a vacinação contra pertussis deve ser descontinuada e o esquema de vacinação deve continuar com vacinas difteria, tétano, hepatite B, poliomielite e Haemophilus influenzae tipo b.1

Este medicamento é contraindicado para crianças menores de 6 semanas.1

Eventos Adversos
Como todo o medicamento, HEXAXIM® pode provocar algumas reações adversas:1
 
-/media/Sanofi/Conecta/Artigos/2021/03/administracao-hexaxim/Graf3.ashx?w=587&hash=91B05F1EABF576DBCACBFE041A69129D
* Edema extenso do membro. Reações no local de injeção (> 50mm), incluindo edema extenso do membro de aplicação, além de uma ou duas articulações, foram relatadas em crianças. Estas reações começam entre 24-72 horas após a vacinação, podem estar associadas a eritema, calor, sensibilidade ou dor no local de injeção e se resolvem espontaneamente entre 3-5 dias. O risco parece ser dependente do número de doses anteriores de vacinas contendo pertussis acelular, com um risco maior após a 4ª e 5ª doses.

Interações medicamentosas

Exceto em caso de imunoterapia supressiva, nenhuma interação clínica significativa com outros tratamentos ou produtos biológicos foram relatados.1

HEXAXIM® não deve ser misturada com outras vacinas ou qualquer outro medicamento de uso parenteral. Locais distintos de injeção devem ser utilizados para o caso de administração concomitante.1

Advertências e precauções:1

● A imunogenicidade da vacina pode ser reduzida por tratamentos imunossupressores ou imunodeficiência. É recomendável postergar a vacinação até o final do tratamento ou doença. Entretanto, a vacinação é recomendada em caso de pacientes com imunodeficiência crônica, como infecção por HIV, mesmo que a resposta de anticorpos seja limitada.
● Em pacientes com insuficiência renal crônica, é observada uma resposta deficiente à hepatite B e administração de doses adicionais de vacina hepatite B (recombinante) deve ser considerada de acordo com o nível de anticorpos contra o antígeno de superfície do vírus da hepatite B (anti-HBsAg).
● Se após o recebimento de uma vacina contendo a toxina tetânica inativa pode ocorrer Síndrome de Guillain-Barré ou neurite braquial, a decisão de aplicar outra vacina contendo toxina tetânica inativa deve ser baseada em uma cuidadosa consideração entre os potenciais benefícios e possíveis riscos.
● O risco potencial de apneia e a necessidade de monitoramento respiratório por 48-72 horas após a vacinação devem ser considerados quando for administrada a série de imunização primária a crianças muito prematuras (nascidas com ≤ 28 semanas de gestação) e particularmente àquelas com histórico prévio de imaturidade respiratória. Uma vez que o benefício da vacinação é alto neste grupo de crianças, ela não deve ser interrompida ou postergada.
● Geralmente, a vacinação deve ser postergada em caso de febre moderada ou severa e/ou doença aguda e/ou infecção. Febres baixas não constituem uma contraindicação.
● Crianças com histórico de convulsões febris devem ser acompanhadas de perto, uma vez que eventos adversos podem ocorrer entre 2 e 3 dias após a vacinação.

Se ocorrer qualquer dos eventos a seguir em relação temporal ao recebimento de uma vacina contendo antígenos pertussis, a decisão de administrar outras doses de vacina contendo antígenos pertussis deve ser cuidadosamente considerada:1
● Temperatura de ≥ 40°C em até 48 horas, sem outra causa identificável;
● Colapso ou estado tipo choque (episódio hipotônico-hiporresponsivo) em até 48 horas da
vacinação;
● Choro persistente e inconsolável com duração ≥ 3 horas, ocorrido em até 48 horas da vacinação;
● Convulsão com ou sem febre, ocorrendo em até 3 dias da vacinação.
● Poderá haver algumas circunstâncias, como alta incidência de pertussis, em que os potenciais benefícios superam possíveis riscos.

A segurança e eficácia da vacina em crianças com idade superior a 24 meses não foram estabelecidas.1