Neste vídeo, é explicado o mecanismo de ação de Soliqua no tratamento do Diabetes Tipo 2.
Enquanto a insulina basal tem como alvo o controle da glicemia de jejum, o agonista do receptor de GLP-1 visa o controle da glicemia pós-prandial. 1

O agonista do receptor de GLP-1 atua nas células beta, estimulando a secreção de insulina naturalmente após as refeições, limitando assim os riscos de hipoglicemia e auxiliando na sensação de saciedade retardando o esvaziamento gástrico. Já a terapia com Insulina Basal ativa os receptores de insulina para estimular a captação de glicose no musculoesquelético e no tecido adiposo, e inibindo a produção hepática de glicose. 1

Por isso, Soliqua age tanto a glicemia de jejum quanto na glicemia pós-prandial, promovendo um controle glicêmico global e atuando em 7 dos 8 defeitos fisiopatológicos do Diabetes tipo 2. 2