Esse material abordou as evidências e as boas práticas para a profilaxia do tromboembolismo venoso (TEV) aplicadas nos hospitais, destacando os pontos mais importantes, as medidas de educação e as ferramentas de suporte a decisão clínica aplicáveis na instituição.

De acordo com as principais diretrizes para a profilaxia do TEV, os pacientes são avaliados para o risco de TEV nas primeiras horas de internação, com base em políticas, protocolos, planos de educação e sistemas de suporte a decisão clínica.1-9

Os pacientes hospitalizados com doenças agudas e risco de trombose são candidatos potenciais à profilaxia anticoagulante. De modo geral, não se promove profilaxia mecânica como primeira escolha no caso de pacientes clínicos sem fatores de risco de sangramento.1

O risco de TEV em pacientes submetidos a cirurgias não ortopédicas depende de fatores específicos dos pacientes e dos procedimentos. Os casos de risco muito baixo ou baixo abrangem a maior parte das cirurgias que têm alta no mesmo dia e aquelas que não envolvem procedimentos abertos de longa duração. Não se recomenda profilaxia de TEV no caso de indivíduos submetidos a esses procedimentos, exceto quando há hospitalização durante mais de um dia e/ou o paciente apresente outros fatores de risco de TEV.1

Em geral, os procedimentos associados a um risco muito alto de TEV envolvem cirurgias abdominais ou pélvicas de câncer, múltiplos traumas maiores, craniotomia/cirurgia de coluna por doença neoplásica e cirurgia de coluna com abordagem anterior. Nesses casos sugere-se uma combinação de profilaxia mecânica, de preferência com compressor pneumático junto com terapia anticoagulante para esses pacientes. O risco de TEV é consideravelmente alto após cirurgia ortopédica e em pacientes com neoplasias.

Para a prevenção de TEV é necessário agrupar as boas práticas para oferecer um bom suporte de decisão clínica nos cuidados com o paciente, desenvolver e implementar recursos educacionais com base no protocolo definido pela instituição e criar ferramentas para a medição e o acompanhamento das metas.1