Identificar

80% dos pacientes com RSCcPN têm inflamação tipo 21.*

Observe outros sinais de inflamação tipo 2 nos pacientes com RSCcPN:2,3
  • Histórico de asma e/ou outras comorbidades tipo 2 (rinite alérgica, NSAID-ERD etc.) 
  • e/ou 
  • EOS elevados e/ou níveis de IgE total elevados 
  • e/ou 
  • Necessidade de corticosteroides sistêmicos
 

Repensar


Reconheça o papel dos principais desencadeadores da inflamação tipo 2 


A IL-4 e a IL-13 são os desencadeadores-chave centrais da inflamação tipo 2 na RSCcPN.4,5
 

A IL-4, a IL-13 e a IL-5 têm funções distintas e sobrepostas, com amplo impacto sobre os sintomas da RSCcPN.4,5 
 

O padrão atual de cuidados não endereça especificamente a inflamação tipo 2 crônica subjacente3

Corticosteroides sistêmicos 

  • Tratam a inflamação de modo mais geral;3
  • Seu uso frequente leva ao risco de efeitos adversos no curto e no longo prazo.8

Cirurgia nasossinusal 
  • Elimina a obstrução nasal, mas não aborda a inflamação tipo 2 crônica subjacente, que pode levar à recorrência dos pólipos e a sintomas refratários;2,3 
  • Muitos pacientes não recuperaram o olfato após a cirurgia;9 
  • A cirurgia de revisão está associada a maior risco de complicações cirúrgicas.10,11
 

Tratar

O tratamento biológico é recomendado para o paciente com RSCcPN grave não controlada com evidência de inflamação tipo 22
 

Diretrizes

As diretrizes recomendam o uso de medicamentos biológicos nos pacientes com RSCcPN para endereçar a inflamação tipo 22,3 

As diretrizes EPOS e EUFOREA de 2020 recomendam tratamentos biológicos para os pacientes com rinossinusite crônica grave com pólipos nasais não controlada. Critérios para indicação de biológicos podem incluir:2,3
 
Endereçar a inflamação tipo 2, causa da RSCcPN em 80% dos pacientes, é importante para alcançar os objetivos finais do tratamento.1 Conheça mais sobre o imunobiológico Dupilumabe para o tratamento da RSCcPN.