icon7-mensagem-principal

A escolha da terapia de anticoagulação nas pacientes grávidas deve levar em consideração os parâmetros clínicos basais e específicos da gravidez (período gestacional e risco de complicação materna/fetal no período periparto).

arrow O manejo terapêutico do TEV associado à gravidez deve envolver uma abordagem dinâmica da combinação de
recomendações das diretrizes e preferências individualizadas da paciente.


icon7-porque-importa

O TEV associado à gravidez aumenta o risco de mortalidade materna


arrow O estado de gravidez cria um ambiente pró-trombótico, gerando a necessidade de uma triagem diagnóstica cautelosa devido ao potencial inerente para interpretação alterada do exame (relacionada à sensibilidade/especificidade) vs. a população não grávida.

Principais destaques

icon-riscos-especificos5

Seta verde Principais fatores de risco específicos da gravidez:
  • Período gestacional (risco 80 vezes mais alto nas primeiras 2 a 6 semanas pós-parto);
  • Gestação múltipla;
  • Tecnologia reprodutiva artificial (associado aos TEVs observados predominantemente no primeiro trimestre);
  • Pré-eclampsia (aumento do risco de trombose venosa profunda no período pós-parto);
  • Infecção pós-parto.

icon-diagnostico5
Seta verde Diagnóstico: a avaliação de risco vs. benefício é recomendada para confirmar o diagnóstico de TEV para o início imediato da terapia.
  • Trombose venosa profunda (mulher grávida sintomática): a ultrassonografia com doppler venoso ainda é o padrão de atendimento.
  • Embolia pulmonar: imaginologia torácica (angiotomografia computadorizada pulmonar e angiografia por ressonância magnética do tórax).

icon-tratamento5
Seta verde Tratamento: uma abordagem terapêutica personalizada, considerando a saúde materna e fetal, é recomendada, e todas as pacientes grávidas diagnosticadas com TEV devem ser tratadas com terapia anticoagulante sistêmica.
  • O filtro de veia cava inferior pode ser uma opção de tratamento para pacientes que são intolerantes à terapia anticoagulante ou têm contraindicação para anticoagulação sistêmica.
  • Opções terapêuticas invasivas podem ser vitais para as mulheres grávidas, mas o risco associado à morbidade e mortalidade fetal é notório.