icone-1-mobile

Todos os probióticos têm a mesma função?

Não

Mas antes mesmo de falar sobre tipos de cepas e suas respectivas funções, é importante lembrar a definição de probióticos: microrganismos vivos que, quando consumidos em quantidade adequada, conferem benefícios à saúde do hospedeiro.2

Assim, o tipo de benefício que um determinado probiótico vai exercer sobre o organismo vai variar de acordo com o tipo de cepa utilizada.

Enterogermina® contém Bacillus clausii em sua formulação. Evidências científicas comprovam os benefícios dessa cepa na saúde gastrintestinal e na recuperação da disbiose, tanto em adultos quanto em crianças, com diminuição da frequência e da duração desse quadro.2-4


icone-2-mobile

É verdade que quanto mais Unidades Formadoras de Colônia (UFC), melhor?

Não


É importante lembrar que os probióticos devem não apenas ser capazes de passar pelo trato digestório, mas também ter a capacidade de chegar vivos e se proliferar no intestino. Isso significa que esses microrganismos devem ser resistentes ao suco gástrico e ainda conseguir crescer na presença da bile.1

Portanto, o número de UFC não necessariamente reflete em um resultado mais eficaz se esses microrganismos não conseguirem se manter vivos até a chegada ao intestino, onde exercerão seu benefício. Enterogermina® contém Bacillus clausii, que comprovadamente conseguem sobreviver até o intestino grosso, onde germinam, podendo contribuir assim para o equilíbrio da flora intestinal.5


icone-3-mobile

Existe uma idade mínima para se indicar um probiótico?

Verifique


O consumo de probióticos por bebês e crianças de até 3 anos de idade depende da comprovação de segurança apresentada pelo produto no consumo por esta população. Enterogermina® é aprovado para o uso em crianças desde o nascimento.


icone-4-mobile

É verdade que quanto maior a diversidade de cepas, melhor?

Não necessariamente

O benefício de um probiótico é cepa-específico. Assim, se o probiótico tiver benefício comprovado para melhora do quadro diarreico, não necessariamente deverá ser utilizado para constipação, por exemplo.


icone-5-mobile

Os probióticos são resistentes a qualquer antibiótico?

Não


Algumas cepas podem não ser resistentes a determinados tipos de antibióticos, perdendo, assim, seu efeito. Aqui no Conecta você encontra a lista de antibióticos aos quais o Bacillus clausii é resistente, podendo auxiliar no equilíbrio da flora intestinal que é prejudicada com a utilização de antibióticos.


icone-6-mobile

Qualquer pessoa pode usar probióticos? (Ex.: diabéticos, celíacos, intolerantes a lactose etc.?)

Verifique

A princípio, o consumo de probióticos é contraindicado apenas para indivíduos imunocomprometidos. Contudo, é preciso atentar-se ao excipiente do probiótico, uma vez que pode haver a presença de componentes como açúcar ou lactose. Enterogermina® não contém em sua composição açúcar, glúten ou lactose, podendo ser consumido por indivíduos que façam uma dieta controlada desses compostos ou mesmo que não possam ingeri-los.
 

icone-7-mobile

Todos os probióticos são termo resistentes?

Não

Para conseguir exercer seu efeito de forma adequada, os probióticos precisam chegar vivos ao intestino, e sabe-se que diversas cepas não são resistentes a temperaturas muito elevadas.7 É preciso verificar nas orientações do fabricante se o probiótico em questão pode ser incorporado a bebidas quentes, por exemplo, assim como as condições de armazenamento.