Embora eventos de TEV possam ocorrer apesar da profilaxia, esse processo pode ser otimizado pelo monitoramento das ações de prevenção, uma vez que o uso de métricas na avaliação desses processos leva à identificação de oportunidades de melhoria.1 

Entre as categorias de medição que fornecem dados para a melhoria do processo estão:

• Medições de estrutura (disponibilidade das ferramentas organizacionais para apoio às iniciativas de prevenção do TEV); 
• Medições de processo (confiabilidade das principais etapas da administração dos cuidados com a saúde); 
• Medições de resultado (impacto da iniciativa sobre determinado desfecho clínico);
• Medições de compensação (potenciais consequências adversas e involuntárias das intervenções).1 

Embora haja ampla variedade de métricas potencialmente úteis para fornecer dados para essas várias categorias, as duas métricas principais são a prevalência da profilaxia adequada do TEV e a incidência de TEV potencialmente evitável.1 São abordadas algumas das formas de execução das medidas de incidência e prevalência para a geração de dados que embasem futuras ações de melhoria da profilaxia do TEV nas instituições.