A doença surge a partir da transformação maligna de células plasmáticas em células monoclonais de mieloma anormais. À medida que as células do mieloma proliferam e o MM progride, essa malignidade pode causar morbidade substancial, com muitos pacientes apresentando complicações graves de sua doença, que segue sendo considerada incurável. Os pacientes com suspeita de MM são submetidos a uma avaliação completa, que inclui exames de sangue, exames de urina, biópsias e aspirados da medula óssea e avaliações radiológicas. Os sinais e sintomas do MM podem variar amplamente entre os pacientes e podem refletir uma anemia subjacente, hipercalcemia, lesões osteolíticas e doença renal característica da doença.1,3,4

Uma vez que o MM é diagnosticado, o estadiamento da doença pode ajudar os médicos a avaliarem não apenas a extensão dos danos causados pela doença, como também a estimarem o prognóstico dos pacientes. Historicamente, os médicos costumavam usar o sistema de estadiamento Durie-Salmon para correlacionar a carga tumoral dos pacientes com os resultados de seus exames clínicos, laboratoriais e de imagem. O sistema de estadiamento Durie-Salmon foi praticamente substituído pelo R-ISS, que classifica os pacientes com base em fatores prognósticos estabelecidos para ajudar os médicos a preverem a agressividade do mieloma e estimar a sobrevida dos pacientes. O R-ISS considera os níveis séricos de β2M e albumina, anormalidades citogenéticas e LDH sérico ao avaliar os pacientes e estimar seu prognóstico.5-8

Embora os sistemas de estadiamento forneçam informações úteis para avaliar o prognóstico dos pacientes e orientar as decisões de tratamento, o estadiamento clínico é muitas vezes combinado à avaliação de outros fatores prognósticos para estratificar com mais precisão os pacientes de acordo com o risco. Os fatores que influenciam o risco e o prognóstico dos pacientes, por sua vez, podem ajudar os médicos a adequarem os tratamentos aos pacientes de maneira individualizada. Além disso, os critérios de diagnóstico e estratificação de risco do Grupo Internacional de Trabalho do Mieloma (IMWG) para MM podem ser utilizados como diretriz clínica.8,9

Clique aqui e acesse o material na integra!