Doença cardiovascular em mulheres
  • Apesar do progresso na redução do risco cardiovascular, a doença cardiovascular (CV) continua como primeira causa de morte em mulheres.1
  • Fatores de risco tradicionais e também fatores específicos das mulheres (como menopausa precoce e complicações da gravidez) contribuem para o risco CV desse grupo.1
  • Entre os fatores de risco tradicionais, destacam-se as desordens lipídicas.1
Fatores de risco para DCV em mulheres
Alterações lipídicas em mulheres
Em homens e mulheres com risco equivalente de DCV, o benefício da terapia com estatina para prevenir eventos cardiovasculares é similar.  
Tratamento do colesterol em mulheres
  • Não há diretrizes dirigidas ao manejo do colesterol que sejam específicas para cada sexo.
  • As estatinas reduzem eventos cardiovasculares e mortalidade por todas as causas a despeito do sexo,3 devendo ser consideradas para mulheres que apresentem critérios para uso dessas medicações de acordo com as diretrizes vigentes.
Diretriz Brasileira de Dislipidemias de 2017: metas lipídicas de acordo com o risco calculado sem distinção entre os sexos
Conclusões
  • As dislipidemias representam importante fator de risco cardiovascular modificável em mulheres.1,2 Apesar do aumento crescente da conscientização sobre a importância das doenças cardiovasculares em mulheres, a mortalidade cardiovascular nessa população permanece elevada.5
  • O reconhecimento de fatores de risco, tradicionais ou específicos da população feminina, e seu controle por meio da aplicação apropriada das terapias baseadas em evidência são fundamentais para prevenção das doenças cardiovasculares nas mulheres.
  • O tratamento do colesterol deve ser realizado de acordo com a estratificação de risco pela diretriz vigente, sem distinção entre os sexos, já que ambos apresentam redução do risco de eventos cardiovasculares mediante redução do LDL-c.3,4
Estatinas são as medicações de primeira escolha em homens e mulheres, mas a combinação com outros hipolipemiantes, como o ezetimiba, pode ser necessária para o alcance de meta e/ou em intolerantes às doses mais altas de estatina.2,4