1) Qual é a importância e como fazer um bom gerenciamento de categorias em uma drogaria, como a exposição e organização dos diferentes medicamentos "fora do balcão" ou "OTC (over the counter)", levando em consideração a legislação sanitária? 

Uma vez que é permitida a exposição dos medicamentos isentos de prescrição fora do balcão, a farmácia precisa expor esses itens de maneira organizada e atrativa para que o cliente possa escolher o que quer. Na maioria das farmácias, esses medicamentos são expostos nas gôndolas de fácil acesso para os clientes, nem sempre o farmacêutico ou balconista participa da venda. 

Para que o cliente tenha uma boa experiência de compra, é importante separar os produtos por classe terapêutica, por exemplo, antigripais, analgésicos e antiácidos. As seções precisam ter etiquetas de preços em todos os produtos, ser abastecidas com frequência, sempre limpas e organizadas. É interessante dar destaque para lançamentos, promoções e produtos que estão com propaganda na mídia. Além disso, a sazonalidade também deve ser levada em conta: no inverno, aumentar os estoques e exposições dos xaropes, antigripais e vitamina C, por exemplo, e quando chegar o verão, dar destaque aos repositores de flora intestinal, antiácidos e protetores hepáticos. Uma dica é colocar esses produtos na altura dos olhos do cliente, e ter um ponto adicional de exposição também ajuda quando o cliente lembra que precisa de algo para a sua farmacinha em casa. 

Todas essas ações facilitam a venda desses produtos e o mais importante: o farmacêutico deve sempre se colocar à disposição para esclarecer dúvidas e vender o medicamento ideal para cada cliente.

SANET-48_img-text-Q1_v1

“Para que o cliente tenha uma boa experiência de compra, é importante:”


2) Outro ponto importante no dia a dia da farmácia é o atendimento, a atenção aos pacientes e colaboradores dentro da farmácia. Quais são as “dicas de ouro” que você daria para termos um bom atendimento dentro da ética farmacêutica? 

Para um bom atendimento na farmácia, é importante que o farmacêutico dê treinamento para os funcionários e se coloque sempre à disposição para responder às dúvidas. A equipe não substitui o farmacêutico, mas pode ser um apoio importante para esclarecer as questões dos clientes.

Além do atendimento técnico, é preciso treinar os funcionários sobre como encantar o cliente, às vezes um “bom dia” dado com ânimo pode quebrar o gelo e fazer com que o cliente se sinta bem. Ser honesto e vender o que a pessoa realmente procura também é uma maneira de conquistar novos clientes. E sempre se colocar no lugar do outro, assim é bem mais fácil conduzir a venda de forma benéfica para as duas partes. Isso gera maior confiança e mostra que não estamos interessados somente em vender, mas em atender a real necessidade do cliente.

SANET-48_img-text-Q3-a_v1

“É importante que o farmacêutico dê treinamento para os funcionários e se coloque sempre à disposição para responder as dúvidas.”


SANET-48_img-text-Q3-b_v1

“...às vezes um ‘bom dia’ dado com ânimo pode quebrar o gelo e fazer com que o cliente se sinta bem.”


3) Falando sobre a lei de medicamentos genéricos, o farmacêutico pode sugerir a substituição do medicamento de referência pelo genérico correspondente. Na sua experiência, como você faz a sugestão de troca da prescrição de um medicamento de marca por um genérico?

Na farmácia, sempre ofereço a melhor opção para o cliente, e ele escolhe o que quer comprar. O farmacêutico pode sugerir a troca do medicamento de marca pelo genérico respeitando a lista de intercambialidade da Anvisa, uma lista de medicamentos que podem ser substituídos.

Quando dispenso medicamentos com receita, informo o valor do medicamento de marca e o cliente também é informado que tem o genérico daquele produto. Na hora de sugerir essa substituição, é importante esclarecer todas as dúvidas dos clientes: informar que o medicamento genérico é de confiança, aprovado pela Anvisa, que são feitos testes de biodisponibilidade e bioequivalência, o que garante sua eficácia, e que são fabricados com alto padrão de qualidade. Em relação à diferença de preço, informo que os medicamentos de referência precisam de anos de pesquisa e investimento alto para serem desenvolvidos, enquanto o genérico, por ser uma cópia, é desenvolvido em menos tempo e com menor investimento, o que impacta no preço final, mas não compromete sua eficácia. Essas informações são importantes para que o cliente possa decidir se quer levar o medicamento de referência ou genérico.

SANET-48_img-text-Q2-a_v1

“Quando dispenso medicamentos com receita, informo o valor do medicamento de marca e o cliente também é informado que tem o genérico daquele produto.”


SANET-48_img-text-Q2-b_v1

“É importante esclarecer todas as dúvidas dos clientes: informar que o medicamento genérico é de confiança, aprovado pela Anvisa, que são feitos testes de biodisponibilidade e bioequivalência, o que garante a sua eficácia, e que são fabricados com alto padrão de qualidade.”


SANET-48_img-text-Q2-c_v1

“Em relação à diferença de preço, informo que os medicamentos de referência precisam de anos de pesquisa e investimento alto para serem desenvolvidos, enquanto o genérico, por ser uma cópia, é desenvolvido em menos tempo e com menor investimento, o que impacta no preço final, mas não compromete a sua eficácia.”