O monitoramento terapêutico de drogas antimicrobianas é recomendado em pacientes críticos adultos; para a teicoplanina, recomenda-se a dosagem da concentração de vale (imediatamente depois da administração ou 30 minutos antes dessa), com uma concentração mínima alvo de 15-30 mg/L.

Alguns achados sustentam essa recomendação. A concentração mínima alvo de 15-30 ug/mL pós-administração foi associada a uma melhor resposta clínica, sem aumento dos eventos adversos renais e hepáticos em pacientes com infecção não complicada causada por Staphylococcus resistentes à meticilina (MRSA).2 

A concentração de vale alvo maior ou igual a 20 ug/mL foi associada a uma melhor resposta clínica no tratamento da bacteremia e/ou infecções complicadas causadas por MRSA.

No cenário de terapia antimicrobiana parenteral ambulatorial, a teicoplanina é considerada segura e com baixo nível de falha terapêutica.4 Sugere-se que o monitoramento da teicoplanina seja feito de acordo com a gravidade da infecção e/ou a complexidade do estado patofisiológico dos pacientes.

Em pacientes críticos, a primeira avaliação deve ser feita em 48h, e depois a cada 48-72h; em pacientes com neutropenia febril, a cada 48-72h; naqueles com insuficiência renal aguda ou doença renal terminal, a cada 72-96h; e em pacientes de terapia antimicrobiana parenteral ambulatorial com infecções articulares, uma vez por semana.5 

A individualização do tratamento com teicoplanina por meio do monitoramento terapêutico pode representar uma importante ferramenta para o uso racional de antimicrobianos.5