Segundo a mais recente atualização da Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose, pacientes de alto risco cardiovascular têm como meta terapêutica de colesterol LDL 70 mg/dL ou redução de 50% em relação ao valor basal.1 

Entretanto, muitas vezes os pacientes não atingem as metas terapêuticas: até 80% dos pacientes se encontram fora das metas preconizadas pela maioria das diretrizes.2 

A falta de adesão é um aspecto importante que leva a maior risco de eventos cardiovasculares e de desfechos graves.

Em pacientes com doença coronariana estabelecida e que não fazem uso adequado das medicações, há duas vezes mais chances de eventos cardiovasculares e até quatro vezes mais chances de morte cardiovascular.

Discute-se um caso de paciente de alto risco com adesão inadequada ao tratamento, onde a alteração dos horários de administração dos medicamentos e o uso da combinação de rosuvastatina 40 mg com ezetimiba 10 mg – combinação com efeito sinérgico e maior potência hipolipemiante4 – tiveram efeitos positivos para o alcance da meta terapêutica.