Osteoartrite (oa): tratamento sintomático e condroprotetor

Sinais e sintomas



Doença articular mais frequente;1,2



Afeta várias articulações: mãos, joelhos e quadris;1,2



Causa alterações estruturais nas cartilagens articulares, osso subcondral, ligamentos, cápsula e membrana sinovial;1,2



Provoca dor, rigidez e crepitação articular com instabilidade;1,2



Promove incapacidade física e perda da qualidade de vida.1,2





Epidemiologia e impacto


Envelhecimento, aumento da obesidade e das lesões traumáticas: maior prevalência de OA.


Atualmente afeta:
  • 250 milhões de pessoas em todo o mundo;3
  • 12 milhões de brasileiros.4
 
banner-img-mobile-chc-mobility-zoom-joelho - nova


Principais fatores de risco para OA:2,5,6

Idade; 

Sexo feminino;

Adiposidade, sobrepeso e obesidade:


índice de massa corporal (IMC) superior a 25 kg/m2 aumenta em duas vezes o risco;6,7

Fatores biomecânicos:

desalinhamento e sobrecarga mecânica articular;

Fatores genéticos:

a suscetibilidade genética varia de 40% a 65%, dependendo da articulação;8,9

Inflamação sistêmica de baixo grau;

Trauma e lesão por esforço repetitivo.
 

Cartilagem articular e sua composição


Fisiopatologia da osteoartrite


Doença inflamatória crônica de baixo grau,11 a OA está relacionada ao estresse oxidativo. O processo inflamatório resulta em perda do equilíbrio entre a síntese anabólica e a degradação catabólica da matriz, com consequente perda de cartilagem.10,12



Tratamento da osteoartrite

Consiste em medidas farmacológicas e não farmacológicas com o objetivo de aliviar a dor e melhorar a função.3,10

Esses agentes previnem ou reduzem a deterioração da cartilagem articular.13

Colágeno hidrolisado fortigel®

  • Produto nutricional derivado de tecidos colágenos de animais que compreende uma variedade de polipeptídeos com pesos moleculares de 3 a 10 kDa.14
  • É absorvido após administração oral e distribuído nas articulações.14
  • Estimula os condrócitos a sintetizar colágeno tipo 2 e proteoglicanos.14
  • Apresenta evidências de eficácia na OA.15


O colágeno tipo 2 é predominante na cartilagem, formando uma rede fibrilar tridimensional, essencial para a rigidez e resistência à tração, além de fornecer a arquitetura básica do tecido.16
 
background-img-mobile-chc-mobility-3 - nova

Colágeno hidrolisado Fortigel®: mecanismo de ação

Ação anabólica:


Peptídeos derivados do colágeno (ricos em prolina e glicina) são usados para a síntese da matriz;15-17

Efeito direto sobre o metabolismo ósseo;18,19 

Ação sobre o sistema vascular:

Reduz pressão arterial.20

 

Eficácia clínica
do colágeno hidrolisado fortigel®

Dor:

Redução significativa da dor;14,21-23

Incapacidade:

Redução importante da incapacidade;14,21,22

Condroproteção:

Alteração funcional significativa dos joelhos, corroborando seu efeito de incremento da síntese de proteoglicanos.14


Dados de segurança
do colágeno hidrolisado fortigel®

O colágeno hidrolisado é bem tolerado, sendo uma terapêutica segura no manejo da OA.24


Conclusão


O CH FORTIGEL® promove redução significativa e clinicamente relevante da dor em pacientes com OA, além de melhora da incapacidade funcional.17 

Com perfil de segurança e tolerabilidade muito favorável, o CH FORTIGEL® reduz o consumo de analgésicos e anti-inflamatórios não hormonais e pode ter efeito condroprotetor por produzir alteração estrutural com incremento na síntese de proteoglicanos.10,14,16


thumb-autor-chc-mobility - nova

Autor

Prof. Dr. Charlles Heldan de Moura Castro

CRM-SP 76.801

Reumatologista, professor adjunto da disciplina de Reumatologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP)
 

Para continuar lendo confirme que você é um profissional da saúde.