Difícil de entender
Simples de tratar

O que é hipotireoidismo?

O hipotireoidismo é uma disfunção1 que pode estar relacionada à glândula da tireoide, caracterizada pela queda na produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina), responsáveis pelo funcionamento de diversos órgãos.1

Quem pode ter hipotireoidismo?

O hipotireoidismo é mais comum em mulheres, mas pode acometer qualquer pessoa, independente do gênero ou idade. Até os recém-nascidos podem ser afetados - neste caso, chamamos a doença de "hipotireoidismo congênito".2

18 milhões

é o número estimado de brasileiros que sofrem de hipotireoidismo2,3


5 a 10

vezes mais frequente nas mulheres1


10%

das mulheres acima de 40 anos são afetadas4

A tireoide é uma glândula que fica no pescoço, logo abaixo daquela saliência popularmente conhecida como “pomo-de-adão”3

 

O que o hipotireoidismo pode causar?

O mau funcionamento da tireoide pode mexer com a rotina e produtividade do paciente, além de abalar sua autoestima.
A doença afeta todo o organismo, interferindo nos batimentos cardíacos, no ritmo do intestino, no raciocínio, no humor e no ciclo menstrual das mulheres.4

Os sintomas mais comuns são: dificuldade para engravidar e perder peso, fadiga, sonolência, queda dos cabelos, unhas quebradiças, aumento das taxas de colesterol, intolerância ao frio e ressecamento da pele.4

 

 

Sinais e Sintomas

Além disso, outros dos sinais recorrentes do hipotireoidismo são sonolência, cansaço, alterações no humor, pele seca, pés e mãos gelados, prisão de ventre e anemia.6

A importância de tratar o hipotireoidismo

Em um primeiro momento, pode parecer uma doença que não apresenta riscos maiores à saúde, mas o que muitas pessoas não sabem é que o hipotireoidismo, quando não tratado, pode gerar:
-/media/Sanofi/Conecta/Campaigns/simples-de-tratar/icons_riscos_desk.ashx?w=1920&hash=8ED1E1B46E0C7D6FF107F28F3A4F44BE

Como é feito o diagnóstico?

Recomenda-se o acompanhamento de um médico para identificar e tratar as deficiências. Ainda assim, exames laboratoriais que permitem a identificação de alterações hormonais podem ser solicitados por outros médicos, já que que o diagnóstico da doença é feito por exames de sangue – que analisa o TSH, hormônio estimulante da tireóide, e o T4 livre – e, em certos casos, ultrassom da região afetada.5

E o tratamento?

O acompanhamento6 da doença é de longa duração e consiste na reposição hormonal da tiroxina (T4), feita por meio de comprimidos de reposição sintética do hormônio. Todavia, a eficácia da terapia oral depende, principalmente de dois fatores: o jejum de uma hora após a ingestão do comprimido e o retorno periódico do paciente ao médico para avaliação e, caso necessário, ajuste de dose.

Atualmente, 25% das pessoas diagnosticadas com hipotireoidismo não realizam o tratamento da forma adequada ou simplesmente não tratam a doença. Este percentual, segundo o Instituto Minds4Health, é mais elevado em classes socioeconomicamente mais baixas, chegando a 45% de pessoas pertencentes a classe C e 50% as classes D/E.8

 

 

Quais as possíveis causas?

O hipotireoidismo pode ser causado pela Tireoidite de Hashimoto (doença autoimune em que o organismo fabrica anticorpos contra as células da tireoide), deficiência de iodo no organismo, cirurgias, radioterapia, resistência ao hormônio TSH7. É uma doença relativamente comum, que afeta 8% a 12% dos brasileiros desde as formas mais leves até as mais graves.9

REFERÊNCIAS

  1. Taylor PN, Albrecht D, Scholz A, et al. Global epidemiology of hyperthyroidism and hypothyroidism. Nat Rev Endocrinol. 2018;14(5):301-316
  2. Maciel, Léa Maria Zanini et al . Hipotireoidismo congênito: recomendações do Departamento de Tireoide da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Arq Bras Endocrinol Metab, São Paulo,v.57,n.3, p.184-192, Apr 2013.
  3. Fitzpatrick TH, Siccardi MA. Anatomy, Head and Neck, Adam's Apple. [Updated 2018 Dec 6]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan.
  4. Koehler VF, Reincke M, Spitzweg C. Hypothyreose – wann und wie behandeln? [Hypothyroidism-when and how to treat?] [published correction appears in Internist (Berl).2018 Oct 25].Internist (Berl).2018;59(7):644-653.
  5. Chaker L, Bianco AC, Jonklaas J, Peeters RP. Hypothyroidism. Lancet. 2017;390(10101):1550-1562.
  6. Castro MPR, Soares JCC. Como diagnosticar e tratar Hipotireoidismo.RBM. 2014 dez;71(12):100-5
  7. Portal da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM); acesso em Agosto/2020; disponível em: http://www.tireoide.org.br/o-que-e-a-tireoide/.
  8. Instituto Minds4Health. Hipotireoidismo em foco. São Paulo, 2019.
  9. Brenta G, Vaisman M, Sgarbi JA, Bergoglio LM, Andrara NC, Bravo PP, et al. Diretrizes clínicas práticas para o manejo do hipotireoidismo. Arq Bras Endocrinol Metab. 2013;57(4):265-99.
  10. Bensenor IM. Thyroid disorders in Brazil: the contribution of the Brazilian Longitudinal Study of Adult Health (ELSA-Brasil). Braz J Med Biol Res. 2019;52(2):e8417. Published 2019 Feb 14. 
  11. Instituto Minds4HealtH. Hipotireoidismo em foco – Triggers and Barriers. São Paulo, 2019.