Sobre o evento

Atualmente, o Brasil vive um contexto no qual existe um aumento da proporção da população sem vacinação adequada.

Por termos atingido altas taxas de imunização, muitas doenças deixaram de circular, principalmente a partir dos anos 2000. Com isso, algumas delas passaram a ser desconhecidas, fazendo com que pessoas perdessem a noção do perigo que representam.

Portanto, é necessário compreender os múltiplos fatores que estão contribuindo para esse declínio, principalmente a pandemia da COVID-19, quando as baixas taxas de cobertura vacinal podem aumentar o risco de ressurgimento de doenças graves que já foram controladas ou eliminadas da população. Infecções como poliomielite, coqueluche e difteria foram discutidas durante a live

O Dr. José Cassio Moraes apresenta os dados atualizados sobre as taxas de coberturas vacinais no Brasil.

Qual é o real risco de reintrodução de doenças como poliomielite e difteria, assim como o aumento de casos de coqueluche, no Brasil?

Qual é o papel de uma vacina combinada no aumento das taxas de cobertura vacinal?

Confira o evento na íntegra

Palestrantes

 

Dr. José Cássio de Moraes - CRM-SP 15753

Doutor em Medicina com ênfase em Saúde Pública pela USP. Professor adjunto da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de SP. Colaborador da Organização Panamericana de Saúde, do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo.

 

Dra. Rosana Richtmann - CRM-SP 50470

Doutora em Medicina pela Universidade de Freiburg, na Alemanha. Médica infectologista do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Coordenadora de Infectologia do Grupo Santa Joana. Membro do Comitê de Imunização da SBI.

 

Dr. Marco Aurélio Sáfadi - CRM-SP 54792

Doutor em Medicina com ênfase em Doenças Infecciosas Pediátricas. Membro do Conselho Consultivo Permanente em Práticas de Imunização do Ministério da Saúde, do Comitê de Doenças Infecciosas Pediátricas da SBP e do Comitê de Doenças Infecciosas Pediátricas da ESPID.