Apesar de crianças e idosos serem os grupos mais almejados em campanhas de vacinação, é indispensável ressaltar a importância da prevenção em diferentes faixas etárias. Podemos citar cinco diferentes fases da vida em que a imunização pode – e deve – estar presente, tendo cada uma sua relevância em reforçar a proteção contra doenças que prejudicam a qualidade de vida dos indivíduos. Conheça essas etapas e a importância da imunização em cada uma delas.2,3

 

Recém-nascidos

Ao nascerem, os bebês são expostos a centenas de vírus e bactérias e, como possuem sistemas imunológicos ainda imaturos e frágeis, ficam ainda mais suscetíveis a doenças e infecções. Hepatite B, influenza e poliomielite são algumas enfermidades graves que impactam a saúde dos recém-nascidos e que podem ser prevenidas com vacinação. 4,5
O número de casos de poliomielite, por exemplo, diminuiu em 99% desde o início da Iniciativa Global pela Erradicação da Poliomielite com a vacinação contra a doença. 6

 

Crianças

Nesta fase, é importante que crianças de até 10 anos recebam vacinas para primovacinação e de reforço para evitar o surgimento de doenças. Devido à maior exposição na escola – onde acontece o contato com um número maior de pessoas – e ao sistema imunológico ainda em desenvolvimento, as crianças podem estar mais propensas a doenças. Enfermidades como difteria, coqueluche, tétano e gripe são algumas das doenças que podem ser evitadas se as crianças forem vacinadas de acordo com o calendário vacinal.5

 

Adolescentes

Os adolescentes são o grupo com maiores chances de ser afetado pelo meningococo, causador da meningite meningocócica.7 O reforço da vacina ocorre entre os 11 e 14 anos para reduzir o risco de transmissão da doença para pessoas não protegidas. 8
É também nessa idade que pode ser administrada a vacina contra HPV, vírus que pode causar cânceres em mulheres e homens adultos.8,9

 

Adultos

Apesar da imunização na idade adulta não ser tão comum, é muito importante continuar de olho na carteira de vacinação: algumas vacinas tendem a perder eficácia ao longo do tempo e necessitam de reforço. Vale ressaltar que, se protegidos, os adultos podem evitar a transmissão de doenças aos familiares e filhos pequenos. 10
Gestantes devem ficar atentas e visitar seu médico já que fazem parte do grupo de risco para algumas doenças.12
Vacinas contra gripe, hepatite B e tétano, entre outras, são indicadas na fase adulta.12

 

Idosos

Considerados parte do grupo prioritário em campanhas de vacinação nacionais, por estarem mais suscetíveis a doenças, os idosos, por exemplo, quando afetados pela influenza, tendem a evoluir com complicações mais graves e maior necessidade de hospitalização. Além disso, a vacinação nesta idade permite melhor qualidade de vida para a população.11