Calendário de Vacinação

Bebês

Do nascimento aos 2 anos de idade


Abaixo você encontra o calendário completo de vacinação da rede privada para bebês e as recomendações especiais para este público-alvo, do nascimento até os dois anos de idade.

BCG ID1

Ao nascer: Dose única.

É recomendado que seja aplicada o mais precocemente possível, de preferência na maternidade, em recém-nascidos com peso maior ou igual a 2 kg. Em casos de histórico familiar, suspeita de imunodeficiência ou recém-nascidos que as mães fizeram uso de biológicos durante a gestação, a vacinação poderá ser adiada ou contraindicada.

Hepatite B1

Ao nascer: 1ª dose.
2 meses: 2ª dose.
6 meses: 3ª dose.

Recomenda-se aplicar a primeira dose nas primeiras 12 horas de vida. O esquema de quatro doses pode ser adotado quando é utilizada uma vacina combinada que inclua a imunização da hepatite B, sendo a primeira dose ao nascer, com a vacina isolada e aos 2, 4 e 6 meses de idade com DTPw-HB-Hib ou DTPa-HB-VIP-Hib. 

Tríplice bacteriana1

2 meses: 1ª dose. 
4 meses: 2ª dose.
6 meses: 3ª dose.
Dos 15 aos 18 meses: reforço.

O uso da vacina DTPa (só com as proteínas da bactéria) é preferível ao da DTPw (com células inteiras da bactéria), pois as reações adversas são menos frequentes e intensas. 

HIB1

2 meses: 1ª dose.
4 meses: 2ª dose.
6 meses: 3ª dose.
Dos 15 aos 18 meses: reforço.

Recomenda-se o reforço aos 15-18 meses, principalmente quando forem utilizadas, na série primária, vacinas Hib nas combinações com DTPa.

Poliomielite1

2 meses: 1ª dose.
4 meses: 2ª dose.
6 meses: 3ª dose.
Dos 15 aos 18 meses: reforço.

Recomenda-se que, idealmente, todas as doses sejam com a VIP (injeção com o vírus inativado). Não utilizar VOP (via oral e com o vírus enfraquecido) em crianças hospitalizadas e imunodeficientes.

Rotavírus Inativado1

Dos 2 aos 7 meses: Duas ou três doses, dependendo da vacina utilizada.

Rotavírus monovalente: duas doses, idealmente aos 2 e 4 meses de idade. Vacina rotavírus pentavalente: três doses, idealmente aos 2, 4 e 6 meses de idade. Para ambas as vacinas, a primeira dose pode ser feita a partir de 6 semanas de vida e no máximo até 3 meses e 15 dias, e a última dose até 7 meses e 29 dias. O intervalo mínimo entre as doses é de 30 dias. Se a criança cuspir, regurgitar ou vomitar após a vacinação, não repetir a dose. Não utilizar em crianças hospitalizadas. Em caso de suspeita de imunodeficiência ou RNs, que as mães fizeram uso de biológicos durante a gestação, a vacina pode estar contra indicada e seu uso deve ser avaliado pelo médico.

Pneumocócicas Conjugadas ACWY/C1

Dos 2 aos 6 meses: Duas ou três doses, dependendo da vacina utilizada.

É recomendado a partir dos 2 meses de idade, VPC13, para ampliar a proteção. Quando não possível, crianças menores de 6 anos com esquema completo ou incompleto de VPC10 podem se beneficiar com dose(s) adicional(is) de VPC13. O Plano Nacional de Imunização adotou, desde janeiro de 2016, o esquema de duas doses da VPC10 aos 2 e 4 meses de vida, com reforço aos 12 meses. A SBIm mantém a recomendação de três doses quando utilizada a VPC13: aos 2, 4 e 6 meses de vida com reforço entre 12 e 15 meses.

Meningocócica B1

3 meses: 1ª dose.
5 meses: 2ª dose.

Crianças entre 3 e 11 meses devem receber duas doses com o intervalo de dois meses entre elas, idealmente aos 3 e 5 meses de idade, e uma dose de reforço entre 12 e 15 meses de idade (esquema 2 + 1). Crianças de 12 a 23 meses devem receber duas doses com intervalo de
dois meses entre elas com uma dose de reforço entre 12 e 23 meses após esquema primário.

Gripe1

6 meses: 1ª dose.

É recomendada para todas as crianças a partir dos 6 meses de idade. Quando administrada pela primeira vez em crianças menores de 9 anos, aplicar duas doses com intervalo de 30 dias. Desde que disponível, a vacina influenza 4V é preferível à vacina influenza 3V, por ter maior cobertura das cepas circulantes. Na impossibilidade de uso da vacina 4V, utilizar a vacina 3V.

Febre amarela1

9 meses: 1ª dose.

São duas doses: a primeira aos 9 meses de vida e a segunda aos 4 anos de idade. Para as crianças menores de 2 anos de idade, recomenda-se que não recebam as vacinas febre amarela e tríplice viral no mesmo dia. Contraindicada para imunodeprimidos, mas se o risco de adquirir a doença superar os riscos potenciais da vacinação, o médico deve avaliar seu uso. Essa vacina pode ser exigida para maiores de 9 meses de vida para emissão do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), atendendo exigências sanitárias de alguns destinos internacionais. Neste caso, deve ser aplicada até dez dias antes de viajar.

Hepatite A1

9 meses: 1ª dose.

A vacinação combinada para hepatites A e B na formulação adulto, pode ser considerada para substituir vacinação isolada (A ou B) com esquema de duas doses (0 - 6 meses) para crianças a partir de 12 meses de idade não vacinadas para hepatite B no primeiro ano de vida.

Tríplice Viral1

12 meses: 1ª dose.
18 meses: 2ª dose.

Imunizante contra o sarampo, caxumba e rubéola. Para crianças com esquema completo, não há evidências que justifiquem uma terceira dose como rotina, podendo ser considerada em situações de risco epidemiológico, como surtos de caxumba e/ou sarampo. Em situação de risco para o sarampo – por exemplo, surto ou exposição domiciliar – a primeira dose pode ser aplicada a partir de 6 meses de idade. Nesses casos, a aplicação de mais duas doses após a idade de 1 ano ainda será necessária.

Catapora1

12 meses: 1ª dose.
Dos 15 aos 18 meses: 2ª dose.

A criança que tenha recebido duas doses da vacina após 1 ano de idade é considerada adequadamente vacinada. Em situação de risco – por exemplo, surto de varicela (catapora) ou exposição domiciliar – a primeira dose pode ser aplicada a partir de 9 meses de idade. Nesses casos, a aplicação de mais duas doses após a idade de 1 ano ainda será necessária. O uso em imunodeprimidos deve ser avaliado pelo médico (consulte os Calendários de vacinação SBIm pacientes especiais).
Faça o download de todo conteúdo no pdf abaixo:

Icone download Baixe aqui


Nos siga nas redes sociais:

icon_facebook icon instagram icon podcast